Closet aberto: como deixá-lo mais prático e organizado


Desde que sai da casa dos meus pais para morar em meu próprio canto, passei a ter uma certa aversão por guarda-roupas no quarto de dormir, principalmente porque sai de uma casa para morar em apartamento. Aquela sensação de aperto dentro do dormitório nunca foi uma das minhas preferidas, sabe? E por conta disso, em nossa busca por um imóvel, sempre demos preferência para os que tinham um quarto a mais, para que pudéssemos montar um closet bem espaçoso.

Este é o terceiro apartamento que moro, e o segundo que uso este tipo de closet (o primeiro foi em Manaus, eu um apê mobiliado já com a marcenaria da proprietária). No imóvel anterior, pedimos para um marceneiro de confiança executar um projeto simples, que consistia em uma prateleira firme, um lugar para pendurar os cabides e só. Muita gente me questionou, pois eu morava de aluguel e estava pagando por algo sob medida, mas quando o profissional me garantiu que o mesmo projeto poderia ser readaptado para um cômodo com outra metragem, não pensei duas vezes.


Outro ponto que fui bastante questionada ao escolher o closet aberto é: e o pó nas roupas? Pois bem... sinceramente, eu prefiro lavar a roupa com pó do que com mofo, praga essa que sempre me perseguiu a vida toda em guarda-roupas fechados. E era algo que muito me frustrava, pois cheguei a perder muitas peças (principalmente de couro ecológico) por conta da imbatível umidade, por mais que eu colocasse apetrechos que prometiam combater até traça. E neste atual apartamento que moramos, tenho a sorte de ter um volume muito menor de pó do que de costume. Somando tudo isso, a quantidade de vezes que lavo as roupas por conta do pó é a mesma que eu teria que lavar por conta do cheirinho de guardado.


E para compor meu closet de forma prática, adicionei dois gaveteiros e duas sapateiras acopladas e verticalizadas abaixo da estrutura instalada pelo marceneiro. Assim, tudo o que é mais usado e também mais pesado fica pendurado, e tudo que não se classifica dessa maneira fica na gaveta. (OBS: enquanto não achamos uma boa solução para a impressora, ela fica escondidinha embaixo dos vestidos, hehe). Como eu divido o closet com o boy, tudo do lado esquerdo é dele (exceto a ponta, que é misturada), assim como a sapateira em questão.


A minha sapateira fica ao lado da penteadeira, ambas envelopadas por minha sogra, e aqui eu posso classificar como o "meu cantinho", né? As maquiagens ficam nas gavetinhas, exceto os produtos mais usados (batom, base/corretivo, etc), e para manter tudo arrumadinho, utilizei organizadores de acrílico e também um suporte para as bijus.



O charme ficou por conta dos pratinhos comprados na Fernet e as caixinhas produzidas pelas Irmãs Arteiras. E para entrar na onda da decoração feita por mim na casa toda, fiz um pequeno detalhe na porta do closet, e também nas outras portas do corredor e entrada da casa (como vocês já devem ter visto por aqui.


O baú com tampa estofada serve não só para armazenar nossas coisas (já que estamos falando de uma casa com pouquíssimos armários, né?) como também para que a gente sente enquanto calça mos os sapatos. 


Os chapéus e a bolsa que mais utilizo ficam expostos no cabideiro de parede em formato de triângulo, comprado na Tok & Stok por um precinho bem em conta. Acho um charme só! 


Aproveitei o espaço sobrando em cima dos gaveteiros para armazenar alguns pertences de forma mais despojada: a bandeja branca acomodou os produtos de perfumaria, no cesto ficam os aparelhos responsáveis por domar a cabeleira, e essa caixinha pequena é o porta relógios. Já na parte superior utilizei caixas de papelão para guardar mais pertences.


Um closet aberto, em minha humilde opinião, é uma forma muito prática de organizar suas roupas e sapatos, e também um jeito incrível de você ter noção do que tem (quem nunca esqueceu que tinha aquela "brusinha" no fundo da gaveta, que atire a primeira pedra). E há algumas poucas dicas simples para que esse espaço não se torne um caos para todo mundo ver:

  • Sempre que for trocar de roupa, pendure-a de volta imediatamente, ou coloque-a para lavar, mas nunca deixe-a jogada pelo quarto (isso vale também para quem tem guarda-roupas). É melhor ter um único trabalho do que vários acumulados para serem arrumados depois;
  • Utilize cabides iguais. Pode parecer besteira, mas essa tática ajuda a deixar tudo mais visível para você, e claro, visualmente mais bonito e organizado (um cabide mais longo pode soterrar a roupa entre outras peças que estejam no cabide mais curto e cair no limbo do esquecimento forever and ever);
  • Deixe as peças mais refinadas (aquelas que você precisará mandar para uma lavanderia especializada para lavar) protegidas por uma capa, como ternos, vestidos de festa, etc;
  • Sabe aquela roupa que amassa por qualquer coisa? Deixe-a pendurada. Sempre.
  • Capriche nas caixas de armazenamento. Elas farão parte da decoração de seu closet. Aproveitei as minhas para adicionar um pouco mais de cor no ambiente.

Por fim, sempre que me perguntam "vale a pena ter um closet aberto?", minha resposta sempre será SIM! E espero ter te tirado da dúvida que pairava por aí antes de ler este post :)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram