#phdviaja Flórida: Animal Kingdom

Devo começar este post dizendo que provavelmente este parque seja o mais incompreendido da Disney. Porque eu digo isso? Porque muita gente torce o nariz pra ele, mas acredito que seja porque não capitou realmente a essência que existe em cada cantinho do Animal Kingdom (falarei mais sobre isso no decorrer do texto). Construído em 1998, o AK é o quarto parque do Complexo Disney e o segundo maior parque temático do mundo, perdendo apenas para o Six Flags Great Adventure. A filosofia dele é conscientizar os seus visitantes sobre a importância da conservação animal, pregada pelo próprio Walt Disney, por isso, você encontra por todo parque muitos, mas muitos muitos muitos bichos. E claro que tudo isso tem o devido credenciamento de todas as instituições possíveis e imagináveis.
Nossa carinha de felicidade se resume a sonho realizado. Uma pena que o parque fecha cedo e não tivemos tempo para conhecer uma última área mais reservada do parque, mas tudo bem... fica como desculpa pra voltar o quanto antes. Digo sonho realizado porque muita coisa do Animal Kingdom nos remeteu a nossa infância, ao nosso amor pelos animais, e principalmente, nos fez sentir como é delicioso poder conhecer um lugar que você sempre achou que seria impossível ir.
A Árvore da Vida é o ícone principal do AK. Assim como o castelo do Magic Kingdom, a esfera do Epcot etc, é o ícone central do parque. E dentro dela há uma atração em 3D do Vida de Inseto. Por todo o seu tronco há entalhado dezenas de espécies de animais, por isso o nome. 
Eu banquei a hipster sem querer e acabei indo com a camiseta da concorrente. Nenhum personagem mexia comigo por causa disso. Fiquei triste. Só queria um look tia do safari, poxa...
 Área asiática, que mostra o habitat dos tigres
Acho que o Expedição Everest é o preferido unanime dos visitantes. A única montanha russa do parque simula uma real expedição ao Himalaia, e na fila você encontra diversos objetos estragados, como se fosse vestígios encontrados de uma expedição perdida no local. Dê uma olhadinha no vídeo abaixo pra você ter uma noção da delícia que é:

Depois que vi "Namaria"no Mais Você indo, tomei coragem pra ir também.

No Animal Kingdom você também pode fazer um Safari bem legal. Não tão legal como do Busch Gardens, mas pra quem nunca tinha feito um safari na vida, pra mim estava ótimo. Vi uma girafa de pertinho e mostrando a língua, conheci algumas espécies que nem sabia que existia e ainda por cima, vi um casal de leões na mesma pedra que o Simba surge no Rei Leão. Pensa na minha cara de boba.
Falando em Rei Leão, no video ao final do post mostro pra vocês alguns trechos do show mais lindo que vi na vida, e que o do Brasil não chega nem perto no quesito emoção que este passa. Não sei vocês, mas este desenho fez parte significativa da minha infância e não contive as lágrimas quando vi aquele enorme Simba na minha frente. Além desse espetáculo, também assisti o do Nemo, que é um resumão fofíssimo do desenho, e que arrepiou tanto quanto.


Na área dos Dinos (Dinoland) o meu boy se acabou - ele é apaixonado por dinossauros. Fomos a um simulador que mostrava o fim da espécie e o nosso carrinho precisava fugir antes que os cometas acabasse com a Terra. Também fomos numa montanha russa de criança (porque eu sou criança, me deixem), e pra falar verdade, boa parte dessa área é dedicada aos pequenos mesmo. Tô nem aí, fui mesmo.
Agora pausa para os abraços mais deliciosos do mundo:
Eu e o Russel
Eu beijoquêra com o Donald

Eu agarrando o Mickey
 Eu me emocionando com o Dug
A foto mais fofa do mundo

É isso. Resumindo, o Animal Kingdom é pra quem ama os animais e tem interesse pela preservação do meio ambiente. Na verdade, esse é um assunto tão delicado nessa nossa era de seca que todo mundo deveria ter interesse nisso, não só quem gosta de animais. Cada detalhe do parque, assim como em tudo na Disney, foi minuciosamente pensado e criado pra transmitir aos seus visitantes que o mundo precisa de nossos cuidados, que a beleza natural do nosso planeta é muito mais valiosa e que nossa qualidade de vida depende da preservação de tudo isso. Todos os desenhos reunidos nesse parque também passam a mesma mensagem (inclusive a área do Avatar está sendo construída no AK com a mesma premissa) e se você nunca foi à Orlando, sugiro que não pule este parque só porque todo mundo achou chato: você pode se surpreender. 
E outra... chato são vocês! Esse parque é do caralho. Um beijo
Conheça mais do parque clicando aqui, e algumas curiosidades aqui.


Dicas batutas do Animal Kingdom:

  • O AK é um parque sossegado, portanto, perfeito para dar uma descansadinha. Não que você não vá andar por lá, mas é um passeio menos cansativo, até mesmo porque além de fechar cedo, boa parte das atrações possuem poucas filas;
  • Por ser um parque mais vazio, coloque-o na sua agenda para ir em um dia de final de semana, dias em que todos se abarrotam em parques mais populares como o Magical Kingdom e o Island of Adventure;
  • Não deixe de almoçar no Rainforest. Sério. Você não vai se arrepender. Se você não viu o post em que citei este restaurante, é só clicar aqui e conferir.
  • Este é o parque mais tranquilo para tirar fotos com os personagens. O Mickey e a Minnie ficam o dia todo em uma casinha perto da entrada. Os outros ficam em pontos específicos do parque em horários alternados.


Dicas batutas dos parques no geral:
  • Dedique um dia para cada parque. Não perca nada pra emendar compras em seguida ou outro parque com pressa, porque você está pagando caro por uma viagem rica em detalhes e encantos;
  • Apesar de você estar em um país de primeiro mundo, todo cuidado ainda é pouco. Se atente aos seus pertences e ande com o seu dinheiro em uma doleira presa à cintura; 
  • Separe seu dinheiro de alimentação do dinheiro que você poderá gastar aleatoriamente, pois esses parques são terríveis e a tentação é de lascar. Você volta querendo transformar a sua casa na casa do Mickey e se você não tomar cuidado, vai passar fome porque despirocou geral nas lojinhas;
  • Alguns parques (não sei se tão todos, tá?) possuem armários, mas mesmo assim, leve somente o essencial na sua mochila. No decorrer do dia, por mais que nela tenha somente uma capa de chuva e uma garrafa de água, parecerá que ela tem 50 quilos devido o cansaço.
  • Roupas e calçados confortáveis SEMPRE. Se possível, deixe seu salto alto ou aquele sapato que aperta seu mindinho no Brasil, porque lá ninguém anda arrumado mesmo. Seu corpo agradecerá no final do dia por ter se preocupado com isso;
  • Nunca, mas nunca mesmo deixe de pegar os mapas dos parques logo na entrada. Se o problema for o idioma, não se preocupe porque também tem a versão em Português. Você perderá muita coisa se deixar de fazer isso;
  • Se você gosta de colecionar recordações, corra atrás do Pressed Coin, uma máquina que amassa moedinhas de 1 cent e a transforma em moedinhas personalizadas. Além de ser divertido encontrar as máquinas em todos os parques, as moedinhas costumam ser uma mais linda que a outra. Só não comprei o livro para armazena-las porque preferi guardá-las em uma latinha;
  • Nos parques da Disney há um serviço chamado Fastpass, que te dá o direito de  'furar fila' de até 3 atrações. Este serviço é gratuito e é possível reservar as atrações que deseja com até 30 dias de antecedência (se já estiver com os ingressos em mãos) tanto pelo aplicativo do complexo como nos totens dos parques.
Outros posts sobre essa viagem:

NFL e Blue Man Group

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram