Soraia: Se conselho fosse bom... Quem poupa, tem!

O texto de hoje é mais voltado às moçoilas de plantão. Isso não quer dizer que os homens não possam ler o artigo, mas é que mulheres têm um pouco mais de dificuldade neste quesito: poupar dinheiro. Sim, amigas, esse é um tema sério e um tanto quanto complicado. No entanto, há um momento da vida em que precisamos pensar no futuro e, para que este futuro não seja tão incerto, é preciso fazer algumas mudanças. 

Assim, vamos falar esta semana de arrumar as finanças para se programar melhor para a velhice. Afinal, não adianta tentar guardar dinheiro para daqui vinte, trinta anos, se você está cheia de dívidas agora. Ano novo, impostos e dívidas velhas. 

O período entre o Natal e o Ano Novo é conhecido por período de festas. Durante esses dias, tudo é feito em excesso: comidas, bebidas e gastos, sobretudo com presentes para amigos, familiares e os famosos amigos secretos. Soma-se a isso, uma enxurrada de impostos que começam a vencer logo em janeiro, como IPVA, IPTU, e, logo mais, em abril, o fatídico imposto de renda. Então, o que acontece é que esperamos tanto pelo famoso 13° salário, que, de uma hora para outra, como num passe de mágica, ele desaparece. Para tentar sanar esse problema, o primeiro passo (e um dos mais dolorosos) é fazer duas colunas básicas: do lado esquerdo, coloque o seu salário; do lado direito, os seus gastos fixos. Parece besta, mas muitas vezes não temos noção do quanto gastamos até colocarmos tudo na ponta do lápis. A diferença que sobrar entre o salário e as despesas é o que pode ser gasto com futilidades. 



Outro passo muito importante é ver o que é prioridade e o que é supérfluo entre os seus gastos. Há quem pense que uma academia é prioridade e um bom plano de saúde é secundário. Reveja seus conceitos e veja o que deve permanecer ou não na sua vida. Por exemplo, manicure uma vez por semana ou a cada quinze dias? Academia ou caminhadas no parque? Comprar um creme e fazer hidratação em casa toda semana ou fazer hidratação em um cabeleireiro a cada quinze dias? Essas são escolhas que podem fazer muita diferença no final do mês. 

Além disso, quitar dívidas é primordial. Não consegue se controlar? Deixe seu cartão de crédito em casa! Se a situação está realmente pavorosa, deixe também seu cartão de débito na gaveta de sua cômoda. Vá até o banco, saque R$ 200 e sobreviva com este dinheiro até o final do mês. É fácil? Não, de jeito nenhum, mas pior ainda é ficar com o nome no SERASA ou com uma dívida estratosférica no cheque especial. Planeje-se para resolver este problema. Acredite, ficará muito melhor depois disso. 

Pequenos passos 


Acabaram as dívidas? Ótimo. Aqui vão duas dicas quase que ridículas para ter um dinheirinho a mais no final de ano. 


Lembra aqueles porquinhos que tínhamos quando crianças, onde colocávamos moedas e notas pequenas para termos trocados para comprarmos doces? Ele pode ter serventia também na nossa fase adulta. Fiz este teste no início do ano passado: comprei um porquinho e limpei minhas bolsas e carteiras. Coloquei todas as moedas que achei no porquinho e passei a colocar lá grande parte das moedas que recebia ao longo do ano. Resultado? Quase R$200 em dezembro de 2012, os quais ainda não foram gastos. Parece pouco, porém já ajuda a comprar alguns presentinhos, ou dar aquela tingida no cabelo antes de sair de férias, ou... Enfim, podemos dar vários fins a esse dinheiro, não? 


Não, ela não rende mais como antigamente, mas continua sendo uma ótima aliada para aqueles que não querem poupar a muito longo prazo e não querem pagar impostos. Sugiro poupar pelo menos 10% do seu salário mensal na poupança. Assim, você fica com dois 13º salários e um pouco mais folgada em um período com tantas despesas. E, se você for bastante controlada, esse dinheiro não precisa necessariamente para pagar impostos ou faturas de cartão de crédito; pode servir também como um fundo de férias, para você respirar um pouco mais aliviada e curtir sossegadamente (pelo menos do ponto de vista financeiro) seu tão merecido descanso. 

Não foi suficiente? Bem, se todas essas dicas não foram suficientes e você continua desesperada com o sumiço do seu dinheiro diariamente, sempre pode-se recorrer à Internet e suas maravilhosas páginas na rede. O site Finanças Femininas selecionou cinco páginas que ajudam pessoas a organizarem gratuitamente suas despesas. Neles, as usuárias podem encontrar recursos desde lembretes de pagamento de contas a controle financeiro. Deem uma olhada nesses endereços eletrônicos e aproveitem mais essa ajuda. Até a próxima!



4 comentários:

Instagram