Gita -Coletânea: Causos (2) - EU CONHEÇO O HOMEM ARANHA!

Conheço mesmo, um homem corajoso...

Ou medroso?
Leiam e depois me digam,
Será unanime dizer que ele é precavido...

Certa noite, sozinha temporariamente
Recebi a visita de um amigo
Convidei para entrar
Mas não tinha noção do nosso perigo.

Antes deste dia
Havíamos recordado o passado
Episódios de dúvidas vieram a tona
O que era caso encerrado
Acabou se tornando maratona
Porque a corrida contra o tempo
Nos fez trair outras pessoas...
Como nada era esperado,
(A não ser o meu namorado)
Conversamos e muito mais que isso
De fato sucumbimos...
Nos beijamos mass esqueçam os detalhes
O principal desfecho
É que tenho um amigo herói...
Além da sorte como álibi
Sem contar o azar como algoz
Pois bem...
Já na despedida, toca a campainha
Fui a janela e vi meu bem!
Algum desgraçado desavisado
Esqueceu de fechar o portão
Enquanto eu e meu amigo não sabia o que fazer
O dito cujo subia na contramão...
Tive a idéia de esconder
O meu amigo na área de serviço
Mas ele achou que era grande o risco
Sem muito a fazer
Fiquei de pé na porta para atender
O outro...
Assim que ele entrou,
Uma atriz me incorporou
Fui obrigada a mentir para não chorar
De repente, de novo a campainha
Era a vizinha, estarrecida!
Gritando que tinha ladrão na janela da cozinha...
Fiquei muda e ao mesmo tempo pensativa
Será que o doido estava pendurado
Grudado na calha da fachada?
Era quase isto...
Morando eu, no primeiro andar
Ele não precisou escalar
Mas tinha que andar no meio fio do parapeito
Era alto e exigia dele muito jeito...
Meu amigo pulou a janela da lavanderia
Passou por duas casas até dobrar a esquina
E conseguir sair pela lixeira
Só fiquei imaginando qual seria a cena...
Pior foi a desconfiança
Óbvio que meu namorado foi confiscar
Aquela história de Ricardão na janela
Podia ser coisa inventada para rir
Foi logo ver a situação para se garantir e se prevenir...
Eu fiz o que devia e podia
Logo, tudo voltou ao normal
E nenhum escândalo se tornou real
A vizinha tentou chamar a polícia
Para nosso azar,
O batalhão era do outro lado da praça
Mais essa para piorar nossa desgraça...
Só sei que na hora não entendi nada
Fiquei impressionada...
Na minha mente, estar na delegacia já era um fato
Tendo que justificar o que um homem fazia pendurado
Sem nada roubado?
Como amigo, sei que ele iria mentir
Proteger nossa mentira por outra verdade
Em nome da nossa amizade...
Mas eu, para não prejudicá-lo
Teria que simplesmente assumir!

Enfim...
Hoje conseguimos rir
Ninguém podia saber do nosso segredo
Ele não era o super homem, mass também tinha medo

Não disse que meu amigo era homem prevenido?
Sei que hão de concordar comigo...
Até hoje me pergunto:
Como meu amigo conseguiu tal façanha?
Só mesmo sendo o Homem Aranha!

GITA HABIBA



2 comentários:

  1. Carlinha (@cah_rlinha)23 de março de 2011 15:04

    Adorei!

    O melhor é ficar lendo tudo e imaginando a cena. hahah

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Rsrs.. fato realíssimo Carlinha....

    ResponderExcluir

Instagram