Gita: Biotica sim, Biônica não, Anacrônica talvez...



Estou aqui para falar de mim com rimas, sem poesia –
Apenas um conto sem moral e heresias...
Mais um de tantos que nunca inventei
O sentimentalismo prevalecerá
Caso contrário daria posse destas palavras em vão...
Todos sabem que escrevo
Exibo dotes e dons
Intimido homens e meninos...
Não nego ser mãe de todos os pecados
Quis ser amante
E não me venham com termos pejorativos...
Não depreciem minha exposição
Amante é adjetivo de amar
Nada de conjugar o verbo roubar
Ou exagerar na dose da interpretação.
Hoje quero desabafar
Desgovernar meu juízo para que ouçam o ego
Em nome de alguma coisa governamos nossas vidas
Escolhi viver intensamente
Me entregar sem medo
Sentir a verdade e de vez em quando falar mentiras
Decidi rir para não chorar
E chorar para não me arrepender
Acolhi todos os riscos
Desvirginei meus vícios
Droguei preconceitos para dopar a ignorância
Parti meu mundo ao meio
Para não andar em círculos
Imparcialidade é algo que me agrada
Covardia me assusta
Para governar meu mundo
Preciso de carinho e só
Mass este é meu fardo
Buscar o que não pode me achar...
Cresci calibrada de mágoas
Desamparada de braços e abraços
Tudo o que não tive, está me esperando
Nos olhos de alguém e...Ou alguma esquina do mundo.
Valorizo o silêncio
Quando quietos, acredito sermos mais serenos...
Quando tenho fé, agradeço
E quando não tenho – choro e oro...
Peço pelo meu perdão sem medo.
Sou mulher de paixões
Tenho tesão por cheiro
Faço amor para provar do sexo
Beijei homens e mulheres
Tenho muitos amigos e dois filhos
E assim conheci o amor
Incondicional, do jeito que for!
Julgue se tua coragem é maior que a minha...
Se não for coragem o que tenho
No mínimo, o que não tenho é hipocrisia.
Se por algum momento não me encontro
Ou estranho minha imagem (aparência do que sou)
É porque não enxergo meu reflexo,
Não me vejo no espelho
Porque sou transparente,
Água cristalina para todos beberem!
Não uso máscaras
De alguém bem sucedida ou feliz da vida
Minha maquiagem é um grito de guerra
Uma tatuagem da cultura que ganhei
Por tantos caminhos que tracei...
Ouçam meu ego
Ele só quer dizer que perdeu
A referência do que é verdade e mentira
Perdeu para emoção, a razão...
Fico triste porque tem dias que esqueço
Que a verdade dos fatos é tudo o que tenho
E para piorar ainda me lembro...
Que as pessoas quando falam mentiras
Ignoram o que eu conheço e mereço.
Quando menina desenhava
Anjos e humanos trepando...
Era assim minha visão de mundo:
Um lugar unido pela diversidade e vontades...
Adulta, escrevo:
Qualquer coisa que para mim é real
E para você banal...
Sou uma mulher de muitas vidas
E minha vida é anacrônica
Graças a alma sem sina!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram