O livro que virou série: Amigas para Sempre

 


Este post tem como intuito iniciar uma série de outros posts falando sobre livros que ganharam suas devidas adaptações, seja como filme ou como série. E no meio de tanta coisa boa que já foi adaptada (Game of Thrones, Simplesmente Acontece, Como Eu Era Antes de Você), pretendo dar pitacos do fundo do coração, ou seja, vou falar apenas de obras que li e assisti - então pode ser que eu revisite lançamentos mais antigos, histórias que acabaram de ser lançadas... não vou seguir uma regra, ok?

Para começar, escolhi uma série que foi lançada neste ano, e que pela primeira vez, me apaixonei mais pela versão da Netflix do que pelo livro: Amigas Para Sempre. E antes de você me matar por essa declaração audaciosa, vou deixar aqui minhas impressões de ambos, tá? (fica o aviso que este post pode conter pequenos spoilers)

Vamos para a sinopse DO LIVRO:

"Aos 14 anos, Tully Hart era linda, alegre e popular. O que ninguém imaginava era o sofrimento que ela vivia: nunca conhecera o pai, e a mãe, viciada em drogas, costumava desaparecer por longos períodos.
Mas sua vida se transformou quando ela se mudou para a alameda dos Vaga-lumes e conheceu Kate Mularkey. A garota era inteligente, compreensiva e tão amorosa que logo fez Tully se sentir parte de sua família.
Ao longo de mais de trinta anos, Tully ajudou Kate a descobrir a própria beleza e a encorajou a enfrentar seus medos, enquanto Kate ensinou Tully a enxergar além das aparências e a fez entender que certos riscos não valem a pena.
As duas juraram que seriam amigas para sempre. Essa promessa resistiu ao frenesi dos anos 1970, às reviravoltas políticas das décadas de 1980 e 1990 e às promessas do novo milênio, até que algo abalou a confiança entre elas.
Será possível perdoar uma traição da melhor amiga? Neste livro, Kristin Hannah nos conta uma linda história sobre duas pessoas que sabem tudo a respeito uma da outra – e que por isso mesmo podem tanto ferir quanto curar."
Agora vamos ao trailer da série:



Claro que como todo livro, a história é mais rica em detalhe do que a sua adaptação, justamente porque em uma obra escrita há mais espaço para detalhar melhor a trama. Porém, senti que o livro abordou detalhes demais para coisas desnecessárias, e deixou a desejar em dar um destaque maior para situações e personagens mais importantes. Foi também no livro que me perguntei o tempo todo PORQUE RAIOS o título era AMIGAS PARA SEMPRE, já que o tempo todo o relacionamento entre as duas parecia ser muito mais tóxico do que amigável, desde a infância até a fase adulta.

Outra coisa que me chamou muito a atenção foi a redenção da Tully na série, já que no livro ela é uma personagem detestável. Em ambas as versões, a jornalista sofre de um trauma vivido na adolescência, somado ao abandono da mãe, que resulta em uma mulher cheia de conflitos internos e inseguranças não exteriorizadas. Na história escrita, isso acaba sendo muito mais latente na personagem, e muitas vezes, ela nem se esforça para evitar atitudes que ela tem total consciência de que não é certo.


Na versão visual, Tully, apesar de ainda ser cheia de defeitos, é muito mais parceira de Kate - e o que era uma problemática entre elas, na série, é exatamente o que mais as uniu, o que mais fortaleceu a cumplicidade entre ambas.

Outra coisa que gostei muito na série é a força de Kate. No livro, a amiga número dois (vou colocar assim, pois ela vive na sombra de Tully na versão escrita) é muito mais frágil e insegura, a ponto de viver uma angústia por anos por acreditar que John ainda é perdidamente apaixonado por Tully, mesmo casado com ela. 

Muitas mudanças entre as versões aconteceram, acredito eu que para uma melhor adaptação do roteiro: no livro Kate e John nunca se separam, o casal tem 3 filhos (além da Marah, eles tiveram gêmeos depois de uns anos), Sean mal aparece (e é o irmão mais novo, não mais velho que Kate), Tully sequer se casou, e elas parecem muito mais rivais do que amigas - disputam a atenção de todo mundo, até da mãe de Kate.


Outro destaque notável na série que no livro ficou muito a desejar é o relacionamento de Tully com Nuvem - na versão escrita a mãe sequer aparece, e por um curto período, as amigas se separam porque Tully volta a morar com a avó depois que Nuvem é presa. Na adaptação, encontramos uma tentativa de relacionamento de ambas em cada episódio, e é possível perceber que a distância entre elas tem muito mais a ver com os problemas individuais de cada uma, do que um conflito direto. 

Mas a diferença mais gritante entre as obras é o final trágico que o livro abordou. Não sei se a segunda temporada da série abraçará essa ideia (acredito que sim), mas o que transforma o livro em uma história especial é justamente este desfecho. 

Amigas Para Sempre, o livro, recebeu uma continuação chamada Para Toda A Eternidade, o qual ainda não li, mas com certeza lerei antes de lançarem a segunda temporada. Minha aposta é que a Netflix também incluirá esta segunda obra em algum momento na série, caso essa faça o sucesso que eles esperam. Por enquanto a única coisa que nos resta é torcer para que isso aconteça, já que muitas perguntas ficaram sem respostas para quem só assistiu e não leu. 

Caso você tenha assistido a série não leu o livro, recomendo fazer a leitura, pois são experiências distintas - e no final das contas, você torcerá para que muitas situações NÃO ACONTEÇAM na adaptação (pelo menos foi isso que senti enquanto assisti cada episódio, rs).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram