Quem é Colleen Hoover, a escritora que ganhou meu coração


Desde o ano passado que eu venho devorando um livro atrás do outro de Colleen Hoover, uma escritora norte-americana que possui uma escrita bastante característica. Seus livros são tão envolventes, tem uma narrativa tão fluída, que quando você se dá conta, leu um livro inteiro em apenas um final de semana sem nem notar as horas passarem.

No grupo literário que faço parte lá no Whatsapp, com poucas mais incríveis pessoas que amam ler diversos gêneros literários diferentes, a CoHo é uma das mais presentes entre nossas trocas de mensagens. Aliás, foi a Ju Esgalha (quem já citei várias vezes por aqui) que me apresentou esta mulher talentosa, com um trecho do livro Confesse que ela publicou em seu Stories. Agora pense: se com apenas um único trecho de um livro a Coho me pegou, imagina com os livros inteiros?


Autora best-seller do New York Times, Colleen produz estórias com plot twists sensacionais. Suas tramas variam bastante - já teve livros com uma pitada de suspense, outros com enigmas criativos, outros com assuntos muito necessários para trazer o debate, como violência doméstica, infertilidade, abuso sexual e infantil, mas todos sempre são regados com romance de qualidade. 

Vou apresentar a vocês as obras de CoHo que já li e minhas impressões sobre cada uma delas. Não vou dar muitos detalhes de cada trama, para que você não perca a surpresa ao ler cada uma delas - esta é a graça dos livros da autora! Algumas das resenhas foram publicadas por mim no Skoob (me segue lá!), e conforme eu for lendo novos livros, vou fazendo um upgrade por aqui:


Confesse



(disponível no Kindle Unlimited)

Meu primeiro livro de Coho e também o meu preferido.  Também acredito que é uma ótima estória para ser a apresentação de Colleen à você, pois trata-se de uma trama leve, apresentada ao leitor ao mesmo tempo que os personagens descobrem sobre os fatos, com um final surpreendente e um epílogo inimaginável!
O que mais me atraiu neste enredo foi Owen criar quadros através de confissões anônimas deixadas na caixa de mensagens de seu atelier. E no desenrolar de toda a trama, você se apaixonará não só pela inspiração dele, mas também por seu altruísmo e paciência.

Sinopse:

Da autora das séries Slammed e Hopeless, um romance sobre arriscar tudo pelo amor — e sobre encontrar seu coração entre a verdade e a mentira. Auburn Reed perdeu tudo que era importante para ela. Na luta para reconstruir a vida, a jovem se mantém focada em seus objetivos e não pode cometer nenhum erro. Mas, ao entrar em um estúdio de arte à procura de emprego, Auburn não esperava encontrar o enigmático Owen Gentry, que lhe desperta uma intensa atração. Pela primeira vez, Auburn se vê correndo riscos e deixa o coração falar mais alto, até descobrir que Owen está encobrindo um enorme segredo. A importância do passado do artista ameaça acabar com tudo que Auburn mais ama, e a única maneira de recompor sua vida é mantendo Owen afastado.


O lado feio do amor



(disponível no Kindle Unlimited)

Com um livro de apresentação como Confesse, " O lado feio do amor " acabou não sendo um livro tão surpreendente para mim, pois é uma história mais simples e sem surpresas - você sabe exatamente como ele terminará. Mas não é, de forma alguma, um livro ruim (na verdade ainda não li um livro de CoHo que eu não tenha gostado). A história é mais "caliente", mas até esses momentos sexuais tem uma narrativa bonita e nada vulgar. Vale a leitura para deixar o nosso coração em dia com a empatia (e também para passar o tempo com uma historinha de arrancar suspiros).

Sinopse:

Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.
O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.


Um caso perdido



(disponível no Kindle Unlimited)

A estória de Sky e Dean nada mais é do que uma bela lição que já estamos até cansados de ouvir: nem sempre o que parece ser, é de verdade. Mais do que as aparências podem mostrar, saber o lado da história do outro é fundamental, principalmente se este outro tem muito o que contar. Tudo o que Sky imagina sobre sua vida pode não ser de verdade, e tudo o que Dean esconde pode muito bem desmentir o que contam sobre ele, mas ele não está muito preocupado com isso. 
Esta é a versão de Sky da trama.

Sinopse:

Às vezes, descobrir a verdade pode deixar com menos esperança do que acreditar em mentiras. Sky nunca sentiu verdadeira atração por nenhum dos muitos garotos com quem esteve. Após anos estudando em casa convence sua mãe a fazer o último ano letivo na escola. É quando conhece Dean Holder, um rapaz com uma reputação capaz de rivalizar com a dela. Em um único encontro, ele conseguiu amedrontá-la e cativá-la. E algo nele faz com que memórias de seu passado conturbado comecem a voltar, mesmo depois de todo o trabalho que teve para enterrá-las. Mas o misterioso Holder também tem sua parcela de segredos e quando eles são revelados, a vida de Sky muda drasticamente.


Sem esperança


"Sem esperança" conta a mesmíssima estória de "Um caso perdido", mas na visão de Dean. É um livro que pode ser cansativo para quem não curte este tipo de experiência, mas essencial para quem deseja conhecer a versão do outro protagonista, e entender seus motivos e motivações. 

Sinopse:

Com a ajuda Dean Holder, Sky descobriu segredos familiares chocantes e reviveu lembranças e sentimentos que tinham deixado profundas cicatrizes. Mas toda história tem dois lados. E agora chegou a hora de descobrirmos a verdade a respeito dele. Assombrado pela culpa e pelo remorso por não ter conseguido salvar Hope nem Less, Holder desenvolveu uma personalidade agressiva e desconta sua raiva em qualquer um que tente desafiá-lo. Ele nunca imaginou que voltaria a ver Hope algum dia, e não acredita na própria sorte ao se deparar com ela depois de tantos anos. No entanto, Holder não poderia supor que o sofrimento seria ainda maior após o reencontro. Em Sem esperança, o jovem revela como os acontecimentos da infância de Sky afetaram sua vida e sua família, fazendo-o buscar a própria redenção na possibilidade de salvá-la. Mas é apenas amando Sky que ele enfim será capaz de se reconciliar consigo mesmo.


Métrica



(disponível no Kindle Unlimited)

Métrica é a primeira estória de uma série de 3 livros da autora, e é o meu preferido da trilogia. A trama de Lake e Will é narrada de uma maneira muito carinhosa, com o jeitinho típico da autora de nos cativar em poucos capítulos. Mas, apesar do romance ser o foco, muitas lições são ofertadas de maneira bonita, como por exemplo, superar não só situações que estão fora do nosso controle, como também superar perdas lastimáveis. 
Li este livro em apenas dois dias e nem senti esse tempo passar. Recomendo.

Sinopse:

Após a morte do pai, a ausência torna-se a maior companheira de Lake. A responsabilidade pela mãe e pelo irmão caçula a congelam num limbo de luto e dor. Por fora, ela parece corajosa e tenaz; por dentro, está perdendo as esperanças. E se mudar do único lar que conheceu não ajuda em nada.
Agora em uma nova casa, em uma nova cidade, ela precisa achar seu caminho. E um rapaz apaixonado por poesia pode ser o guia perfeito. Quando conhece o novo vizinho, Layken imediatamente sente uma intensa conexão. Algo que finalmente parece desanuviar um pouco sua realidade.
Mas o caminho da verdadeira felicidade não é feito de tijolos dourados, e logo uma revelação atordoante faz o novo relacionamento ser bruscamente interrompido. O dia a dia vai se tornando cada vez mais doloroso à medida que eles se esforçam para encontrar um equilíbrio entre os sentimentos que os aproximam e as forças que os separam. 
Layken e Will precisam decidir se o amor é mesmo a maior das recompensas. E se estão dispostos a tudo para vivê-lo. Até mesmo magoar um ao outro. Na poesia dos dois, talvez a estrofe perfeita seja solitária e ímpar. E amor rime com dor.


Pausa



(disponível do Kindle Unlimited)

Honestamente? É somente um livro bonitinho, mas desnecessário. A história é um tanto quanto previsível, e comparado aos outros trabalhos da autora, Pausa é clichê, e abaixo da qualidade dos outros títulos dela. Embora a história poderia ter acabado no Métrica sem problemas, não é um livro ruim.

Sinopse:


Destinados um ao outro, Layken e Will superaram os obstáculos que ameaçavam seu amor. Mas estão prestes a aprender, no entanto, que aquilo que os uniu pode se transformar, justamente, na razão de sua separação. O amor pode não ser o bastante. Depois de testado por tragédias, proibições e desencontros, o relacionamento de Layken e Will enfrenta novos desafios. Talvez a poesia desse casal acabe num verão solitário... Sem direito a rimas ou ritmo. A ex-namorada de Will retorna arrependida de ter deixado o rapaz. E está disposta a tudo para reconquistá-lo. Insegura, Layken começa a ler novas reações no comportamento do rapaz. E na insistência para adiar a "primeira vez" de ambos. Presos em uma ironia cruel do destino, eles precisam descobrir se o que sentem é verdadeiro ou fruto da extraordinária situação que os uniu. Será que é amor? Ou apenas compaixão? Layken passa a questionar a base de seu relacionamento com Will. E ele precisa provar seu amor para uma garota que parece não conseguir parar de "esculpir abóboras". Mas quando tudo parece resolvido, o casal se depara com um desafio ainda maior - e que talvez mude não só suas vidas, mas também as vidas de todos que dependem deles.



Nunca Jamais



(disponível no Kindle Unlimited)

Há uma única palavra que resume este livro: SENSACIONAL!
A história me prendeu a um ponto que praticamente devorei o livro em todos os momentos livres que tive dos 3 dias que o li. 
Se procura por uma história que irá te entreter bastante, comece Nunca Jamais hoje!
Minha única ressalva é que a trilogia (sim, este é o primeiro livro de 3) poderia ser um único livro numa boa. As histórias são curtinhas e bastante envolventes.
Curiosidade: CoHo escreveu este livro junto com Tarryn Fisher, autora de Antes de dormir e A garota no trem.

Sinopse:

Charlize Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde a infância. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Todas as recordações desapareceram. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.

Charlize e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo pelo qual se juntaram no passado.


Nunca Jamais 2


Nunca terminei um livro tão rápido! Devorei a segunda parte de Nunca Jamais em apenas 5 horas, e me segurei para não começar a terceira parte, porque precisava dormir! Nesta curta trama, os personagens continuam tentando entender o que se passam com eles, e as respostas parecem estar cada vez mais perto. Só me fez ter mais vontade de ler a terceira e última parte logo!

Sinopse:

A segunda parte do suspense romântico de tirar o fôlego Nunca Jamais. Um garoto abre os olhos e sequer se lembra que seu nome é Silas. O telefone toca... “Encontrou ela?”, pergunta a voz do outro lado da linha. Quem é ela? Quem sou eu? Charlie se vê presa em um lugar parecido com quartos de hospital (ou de um manicômio). Também não se lembra de nada, nem sequer do próprio rosto. O tempo passa e ninguém vem salvá-la. Ela precisa escapar por conta própria. Aos poucos, os dois descobrem que vêm perdendo a memória em períodos cíclicos. E também que se amam imensamente. Numa corrida para descobrir a razão dos apagões em suas memórias, Silas e Charlie acabam descobrindo muito mais sobre si e os mistérios que envolvem suas famílias. Mas muito em breve vão esquecer tudo de novo. E precisam estar juntos para evitar o pior.


Nunca Jamais 3


Ao ler os dois primeiros livros da trilogia, me vi completamente envolvida em uma trama cheia de mistérios, temperada com o romantismo típico (e delicioso) da autora. O terceiro livro não era bem o que eu esperava (não que eu esperasse um desfecho específico, - eu não fazia ideia de como a história terminaria - mas esperava algo mais grandioso), mas talvez a mensagem esteja exatamente na simplicidade. 
Por mais que a história seja fantasiosa, já pararam para pensar quantas coisas boas perdemos quando damos mais valor ao que nem nos agrega tanto assim? 
Já pararam para pensar quantos relacionamentos se perdem porque a importância de um status ou dinheiro acabam falando mais alto?
Senti que a história nada mais era do que uma analogia a tudo isso. Pode não ter sido um desfecho grandioso pelo qual eu aguardava, mas me fez refletir sobre a importância da simplicidade, dos pequenos momentos, que podem se tornar memoráveis quando damos valor a eles.

Sinopse:

No muito aguardado último volume da série Nunca jamais, Silas e Charlize devem mergulhar fundo em seu passado para descobrir quem são e quem querem se tornar. Correndo contra o tempo atrás das respostas, serão eles capazes de se reencontrar e reestabelecer os velhos laços, ou estará tudo perdido para sempre?


Tarde Demais


Devorei este livro em 5 dias e realmente foi uma experiência totalmente diferente do que a autora já escreveu. O mais irônico de tudo é que terminei de ler a historia de Sloan, uma mulher com um passado tão triste quanto o seu presente, no dia internacional das mulheres. A trama tem um drama angustiante, que conta com temas delicados como estupro, esquizofrenia e relacionamento abusivo, mas suavizado com o sentimento que ela e Carter/Luke nutriram um pelo outro.

Sinopse:

Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, parece impossível, para ela, enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar motivos para se sentir bem. Até Carter surgir. Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E, se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir. A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável. Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados, e Tarde demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.

Talvez um dia



Em Talvez um dia, Colleen Hoover aborda a questão moral em dois aspectos diferentes, e que provam a mim o que sempre desconfiei: na vida, as únicas duas coisas as quais não temos controle são: saúde e sentimentos.
A história é linda, os personagens são apaixonantes, a química e cumplicidade que rola entre eles é intensa e inspiradora, e queria colocar Sydney e Ridge em um potinho.

Sinopse:

Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex-melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento; tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava tinham um caso. Até que o soco foi merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge, um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.


Novembro, 9



Amei a história de Ben e Fallon! Ainda não é um livro que bateu o meu preferido da autora (Confesse), mas posso dizer que é o meu segundo preferido até agora, vai... Ben e Fallon são personagens apaixonantes, conectados, intensos sob medida sem deixar a história piegas. Fora que o enredo me prendeu do início ao fim, e não tem nenhum trecho desnecessário. Recomendo a obra principalmente para quem nunca leu nada da Colleen - assim como Confesse, é uma apresentação digna de seu trabalho sempre muito bem amarradinho!

Sinopse:

Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?


É assim que acaba



Ao terminar a leitura de "É Assim Que Acaba",  eu tinha apenas gostado do livro. Mas ao ler a nota da autora, passou a ser uma das minhas histórias favoritas de Colleen. Saber que os principais personagens foram inspirados em seus pais me fez perceber que muitas vezes o que estamos lendo pode ser tão especial para o autor que nem nos damos conta. O livro fala de relacionamentos abusivos e de como as vítimas podem demorar para entender o que está acontecendo, pelo misto de sentimentos nutridos. Não importa que muitas vezes a história pode se tornar previsível, porque na vida real esses fatos também podem ser tão previsíveis quanto, mas a mensagem transmitida pela autora, é de longe, o que mais deve ser levado em conta ao mergulhar nessa leitura.

Sinopse:

Um romance sobre as escolhas corretas nas situações mais difíceis. 
As coisas não foram sempre fáceis para Lily, mas isso nunca a impediu de conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.


Todas as suas (im)perfeições



"Posso passar meu tempo concentrada na versão perfeita da vida que jamais terei, ou posso passar meu tempo aproveitando a vida que tenho"

A delicadeza de Todas as suas (im)perfeições é muito necessária para o tema que o livro aborda. Afinal de contas, não é fácil lidar com a infertilidade quando o casal sonha muito em ter filhos. Mas o propósito de Quinn se tornou tão obsessivo que me peguei em várias partes da história muito frustrada com ela. Por não se dar conta na vida acontecendo em sua volta. Que mesmo diante de sua frustração, uma vida incrível a esperava. 

Os capítulos se intercalam entre a história de quando eles se conheceram e dos dias atuais. Durante os momentos do "agora",  me perguntava a cada questionamento da protagonista "e por que não recalcular a rota em nome do amor? Será que temos que viver eternamente frustrados pelo o que não podemos mudar, ou podemos fazer novos planos de acordo com nossa realidade e se permitir ser feliz? ". 

Senti um certo conflito ao ler o livro, por conta da minha personalidade. Quinn ao mesmo tempo que me reforçava o sentimento da empatia, também me mostrava o quanto me orgulho por não esquecer dos outros setores da minha vida diante de uma frustração. O propósito dela era tão intenso, que nada mais fazia sentido pra ela. Nem mesmo o amor que a uniu com o marido desde o princípio, quando se conheceram no pior dia da vida deles. 

Quinn também me despertou um questionamento incomum, mas que deveria ser comum para todos. A todo momento ela cita que se tornou uma pessoa diferente da que Graham se apaixonou. E ele sente falta daquela versão dela. Mas não seria correto a gente pensar em qual de nossas versões somos melhores, e quais dessas versões gostaríamos de ser? Ela não parecia feliz com a sua nova versão, então qual é o sentido de se conformar em ser a versão que ela menos gostava? Esse é o sentido da vida! Sermos a nossa melhor versão. 

Enfim, como sempre, CoHo me levou as lágrimas, em especial com o capítulo 28. E quem já leu outros livros da autora deve ter notado um sinal de crossover no epílogo.

Sinopse:

Uma história de amor perfeita é suficiente para manter vivo o casamento entre duas pessoas imperfeitas?
Quando a dança começa, a sincronia é perfeita, os passos seguem o ritmo, as mãos não se soltam, os olhos jamais se deixam. Mas a música pode acabar a qualquer momento... É possível valsar no silêncio? Quinn e Graham se conhecem no pior dia de suas vidas; ela chega mais cedo de uma viagem para surpreender o noivo, ele testemunha a traição da namorada. E é assim que ambos acabam no corredor de um prédio, trocando confidências, biscoitos da sorte e palavras de conforto. Fim da dança... se o destino não tivesse outros planos para os dois.

Meses mais tarde, os acordes tocam para o casal mais uma vez e eles se reencontram. Graham está convencido de que são almas gêmeas. Quinn jamais se sentiu dessa forma antes. A intensidade do sentimento os assusta, mas, ainda assim, eles mergulham de cabeça.

O casamento é tudo o que sonhavam, a parceria perfeita. Mesmo nos momentos difíceis, sabem que podem contar com o outro. Nenhum deles desiste do amor que sentem. Até que a primeira nota dissonante abala a sinfonia do casal. Quinn parece estar disposta a trocar tudo o que é pela única coisa que não consegue ser: mãe.

A luta do casal por um filho arrisca os alicerces da relação. Quinn não pode engravidar. Graham não é um candidato para adoção por conta de um erro do passado. O impasse os deixa parados no salão, no silêncio. A orquestra está em suspenso. Os dois parecem surdos para a música do amor de ambos. Será que é possível voltar a ouvir? A dançar? Ou será que vão descobrir a mais triste verdade de todas... que, às vezes, apenas amar não é o bastante?


Outros livros da autora que ainda não li:


Livros ainda não traduzidos para o português:


Antes da carreira literária, Colleen trabalhou como assistente social. Ela mora no Texas com o marido e os três filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram