De repente... 30!

Já faz quase 2 meses que completei a tenra idade dos 30 e entrei para o time das balzaquianas. E o título deste post, apesar de clichê, tem tudo a ver com o momento: passou tão rápido que nem me dei conta. Até outro dia eu tinha 18, aí pulei para os 26 e a formatura da faculdade e de repente... Olha ela com 30 aí!

Quando eu era mais nova, jurava que minha vida estaria bem diferente do que é hoje com essa idade. Pensava que já teria filhos, uma casa gigante com cachorros e fazendo contas pra pagar a escola das crianças. Por enquanto, disso tudo eu só juntei as escovas, e as contas que faço é pra pagar as despesas de casa mesmo. E no ano passado que planejei comemorar os 30 com os amigos e família em uma super festa anos 60? Fuée... Tô a mais de 3 mil quilômetros de distância deles e comemorei com o 'namorido' (detesto esse adjetivo, mas é o único que se enquadra realmente no meu caso) em um jantar super romântico à luz de velas. 

Isso mostra que nem sempre (ou quase sempre) a vida acontece conforme a gente planeja. E ao invés de adotar a frustração e a cara fechada por causa disso, a melhor solução é se encaixar no que o hoje te oferece. 

Mesmo parecendo um número assustador, os 30 nada mais é que a melhor fase da mulher. Ela já não é tão jovem, mas também não chegou na terceira idade, possui experiências de vida que proporciona uma maturidade sem perder a jovialidade... Já vi tantos relatos de garotas assustadas porque estavam se aproximando dessa idade, porque ainda não tinham casado, moravam com os pais ou coisa parecida... Mas a vida não é baseada em números, e sim em experiências de vida que te possibilitam a se preparar para certas atitudes, não é mesmo?

De que adianta engravidar só porque tem 30 anos, mas não se sentir nem um pouco preparada pra ser mãe?

Pra que ter pressa pra casar, estipular um número exato para subir ao altar, e acabar escolhendo, por ansiedade ou pressa, o cara errado que nem feliz te faz?

Pra que se sentir velha demais pra parar de sair e curtir a vida, gargalhar com as amigas, dançar até sentir a perna doer?

Não é preciso colocar a vida em uma planilha e seguir a risca cada meta ali proposta. Que graça tem dessa forma? Qual a surpresa da vida desse jeito?

O que posso dizer é que cheguei aos 30 me sentindo mais mulher do que nunca. E ao longo desses anos, pude aprender diversas coisas, como: 
  • me cuidar mais (o conjunto hidratante + shampoo certo + boas noites de sono + protetor solar valem muito mais do que qualquer plástica 'rejuvenescedora' ); 
  • que a saúde em dia é a melhor maneira pra se viver melhor : não adianta deixar de comer frutas, legumes e verduras, só almoçar frituras e reclamar que está engordando; 
  • que praticar exercícios regulares não só faz bem esteticamente, como também te permite comer um chocolate sem culpa e te proporciona um resultado muito mais satisfatório do que passar o dia inteiro com preguiça e ociosa na frente da TV ou computador. 
  • que reclamar não passa de um mero desabafo e também não resolve os problemas; 
  • que minha paz de espírito vale muito mais do que discutir por coisas que não valem a pena; 
  • que dar murro em ponta de faca em relacionamentos e amizades sem essência não agrega nada a ninguém; 
  • que rir dos problemas costuma liberar a criatividade pra resolvê-los; 
  • que é muito mais gostoso ler um livro do que passar horas no Facebook reclamando da vida e criticando todo mundo; 
  • que cada um tem sua opinião e que o que eu gosto/penso/sinto não significa que tenho uma verdade absoluta a defender e enfiar guela abaixo nos outros; 
  • e principalmente, que só se é feliz quando a gente sabe cuidar da própria vida. 

Pra finalizar, esses dias publiquei uma foto meio que pra representar os meus 30. Resumindo: me senti linda e cliquei. Fiquei muito feliz quando uma amiga comentou 'Enquanto todos envelhecem, ela permanece em seus 15 anos. Traga dessa água ai para mim, por favor'. Migs, essa água rejuvenescedora deve ser reflexo da minha paz de espírito.



PS: desculpem-me pelo texto narcisista, mas há muito não escrevia sobre mim, e resolvi me dar ao luxo.


7 comentários:

  1. Fia, arrasa nos 30. Eu já estou nos 35, quase 36 e posso dizer que os 30 são melhor que os 20 em muitos aspectos.

    Claro que algumas preocupações surgem com mais frequência do que quando se tem 20, mas fazem parte porque a cobrança com a idade aumenta. Mas parte dela e sua pra você mesma.

    Então aproveita!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, obrigada Lu!
      É exatamente assim que me sinto! E tá tudo uma delícia, rs
      Um beijo

      Excluir
  2. Sheila!!! Você pode se dar ao direito de escrever sobre você em qualquer aspecto, e isso a gente só faz na casa dos 30! Não sei porque! rsrsrs... Mas lendo sua linda experiência, óbvio que me reconheci em várias, algumas ainda continuo dando murro em ponta de faca rs, mas enfim, tudo o que disse é válido... sempre!

    Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, dona Gita!
      Confesso que só colocando 'na ponta do lápis' os sentimentos que eles afloram com mais clareza, assim como qualquer coisa na minha vida! rs
      Um beijo, sua queridona!

      Excluir
  3. Querida ruivinha, a melhor idade é aquela que nos faz bem, leve e feliz. Li recentemente num salão de beleza (melhor lugar qdo se quer ver "linda") que a mulher tem 03 idades:
    - a idade que ela sente ter,
    - a idade que ela realmente tem e
    - a idade que os outros pensam que ela tem.
    Ando na fase de sentir que tenho 35 quando na verdade tenho 49 (passou tão rápido!) e deixo prá quem quiser imaginar quantos tenho...
    Acho que ano que vem serei ainda mais feliz comemorando os (temidos) 50: quem sabe se rodeada de amigos ou só com o love (gatíssimo de 29) num jantarzinho romântico em Paris? rs..
    Um beijo e aproveite todas as suas idades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Lele, sua linda!
      Também me sinto como você, e acho que você se sente assim, porque na verdade, teu espírito é muito mais jovial do que o RG representa <3
      Obrigada por essa energia boa! E que venha os seus 50 com o gatíssimo de 29 em Paris (este é o meu voto, hahahah)
      Um beijo

      Excluir
  4. Querida ruivinha, a melhor idade é aquela que nos faz bem, leve e feliz. Li recentemente num salão de beleza (melhor lugar qdo se quer ver "linda") que a mulher tem 03 idades:
    - a idade que ela sente ter,
    - a idade que ela realmente tem e
    - a idade que os outros pensam que ela tem.
    Ando na fase de sentir que tenho 35 quando na verdade tenho 49 (passou tão rápido!) e deixo prá quem quiser imaginar quantos tenho...
    Acho que ano que vem serei ainda mais feliz comemorando os (temidos) 50: quem sabe se rodeada de amigos ou só com o love (gatíssimo de 29) num jantarzinho romântico em Paris? rs..
    Um beijo e aproveite todas as suas idades!

    ResponderExcluir

Instagram