Iatan GM: Amor platônico, quem nunca?


Pode ser alguém com quem você estuda ou alguém com quem você trabalha. Alguém que você vê na rua com frequência ou alguma amizade próxima. Pode ser algum personagem de um livro ou filme, pode ser alguma celebridade perdida mundo afora. O amor do tipo romântico está presente em todos os lugares, e quando ele só parte de um dos dois lados, a gente costuma dizer que é um amor platônico.
Não há envolvimento amoroso de fato, a pessoa amada é vista como um ser perfeito.
"Platônico" faz referência ao filósofo Platão, que acreditava na existência de dois mundos: o das idéias, onde tudo é perfeito, e o real, que é imperfeito. O amor platônico, em palavras curtas e fáceis, é apenas aquele que nunca se concretiza.
Esse tipo de amor acontece com maior frequência quando as pessoas são exageradamente tímidas, ou têm medo de serem rejeitadas após uma declaração para a pessoa amada.
Mas, e aí? Como lidar com a situação? Isso é doença?
Calma. Relaxa, isso acontece com quase todo mundo.
Há quem diga que o amor platônico apresenta uma boa dose de imaturidade emocional, uma vez que nunca são experimentados os extremos e frustrações de uma relação real.
É uma boa verdade. Há algumas partes bem chatas nesses tipos de romances, que são uma espécie de efeito colateral. Vez por outra é comum se sentir mal, a relação raramente chega a ter resultados, pois amores platônicos nunca são consumados. Isso pode acabar te deixando num ciclo de não arriscar amor e fugir sempre para não se machucar, quando nunca se feriu de verdade. Você joga na pessoa que você supostamente “ama” toda culpa que só pertence a você.
O aspecto positivo do amor platônico surge por ele estimular uma reflexão sobre os motivos que impedem a pessoa de ter uma relação madura consigo mesma e com o outro alguém.
Talvez seja essa a hora exata na qual você ganha uma oportunidade de saber quais são seus receios e o que mais te atrai em alguém. Seria bom levar isso como um ensaio para as futuras relações reais.
O amor platônico tá liberado gente, mas sem esquecer que se o relacionamento ficar apenas na imaginação ele não vai acontecer na vida real. Nada de deixar de realizar sua rotina, ou perder disposição de se relacionar com outras pessoas.



6 comentários:

  1. Na verdade o melhor seria não ter um amor platônico , mas sim sempre se arriscar, no caso, se for uma pessoa que vc tenha acesso ( que não seja nenhuma personagem de filme, livro e atc.), pois isso vai te fazer crescer, o amor platônico é apenas uma fase a ser vencida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor platônico que se de fato chegar a ser real, deixa de ser platônico.

      Excluir
  2. Eu tenho uma relação muito complicada com amores platônicos.
    Talvez, pelo fato de eu ser uma pessoa muito volúvel, eu me apaixono muito fácil e com uma frequência impressionante.
    Mas minha situação atual me impede de se relacionar com outras pessoas, portanto, amores platônicos são uma rotina na minha vida e seguem o mesmo modus operandi:
    - conheço uma garota e, se eu me sentir atraído por ela, me apaixono perdidamente.
    - Fantasio cenas impossíveis, ensaio diálogos amorosos, penso em diversas demonstrações de afeto.
    - sofro horrores por não ser correspondido e por não poder me declarar. Me frusto pelo fato de ser uma paixão impossível e que não será consumada nunca.
    - Sigo em frente com as fantasias, os diálogos amorosos e as intenções de afeto.
    - Duas ou três semanas depois, perco completamente o interesse pela garota e nos tornamos bons amigos, colegas, conhecidos ou simplesmente paro de falar com ela.
    - Sigo minha vida como se nunca tivesse sofrido esses sentimentos conflitantes até a próxima vez que me apaixonarei.

    É uma descrição muito estranha, mas para mim isso já é normal. Inclusive, pessoas que me conhecem bem e/ou que convivem comigo sabem quando estou "apaixonado" por alguém e já não me dão mais conselhos quando estou apaixonado e não me confortam quando estou sofrendo, pois sabem que em algumas semanas eu estarei recuperado e agindo normalmente. Portanto, elas nem se preocupam.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Eu sempre insisto que essa questão é analisada pelo ângulo errado: afinal, qual a diferença entre um amor platônico e um relacionamento "normal"? http://temposdificeisparasonhadores.wordpress.com/2012/11/27/entao-ela-prefere-se-imaginar-com-alguem-ausente/

    ResponderExcluir

Instagram