Gita: Cultura, vem ni mim vem?



A Cultura definiria um povo, se o país não estivesse tão generalizado. Acho sinceramente que o termo “moda” está impregnado na sociedade com tanta desnecessidade... Existe uma comparação entre cultura e moda que muito me incomoda.

A História de um povo, de um país é um legado. Essa historinha de dizer que ninguém sabe pra onde vai se não sabe da onde veio, só é verdade se a gente lembrar que a Literatura existe. A razão da literatura é entreter, e está diretamente ligada à história. O Folclore é um típico exemplo de que as lendas, os personagens, são invenções, mas com pano de fundo bem real. Nada na literatura é por acaso, bem como na história, a cultura é um entreposto de vivências, experiências, troca de sabedoria, aprendizado, e não há progresso sem fatos, sem erros, sem descobertas, sem imaginação ou sem qualquer vestígio de poder existencial.
Harry Potter é outro exemplo de que a cultura é soma de história e literatura, por mais que muitos achem que a banalização do aprendizado está nestes filmes que falam de mitos, personagens irreais, probabilidades falidas de utilidade educacional, mas a verdade é que nada no entretenimento é aleatório. Quem lê o livro, não imagina aquele cenário surreal, mas para a escritora, que foi criada num país que existe um castelo como escola, já mudamos o ponto de vista, e logo pensamos que no Brasil isso sim, é surreal e que a diferença está na cultura de cada comunidade, sociedade...

E quando fico fula da vida? Quando o brasileiro não respeita a cultura alheia. Não há cartilha que ensine um brasileiro a gostar de cultura. Existem livros, histórias, teatro, shows, e família. É necessária a convivência com os ares da antiguidade, idade média, renascimento, séculos passados, é preciso viajar no tempo através das palavras, da imaginação, e não sei onde a moda, algo que só é bom quando é momentâneo e pior, só remete aos primórdios e não ao progresso, não entendo esse tipo de moda na cultura.

Sinto falta de ver gente relembrando as boas ideias já vivida, e que sirvam de releitura na própria vida, vejo minha filha ouvir funk, por exemplo, e fico chateada. Acham legal uma frase que surte de efeito e graçinha para dia a dia, há quem diga que é somente uma expressão do corpo, mais uma tendência a ser passada para trás com outras novidades, e então percebo que a música é o maior exemplo de que a cultura + literatura + história, está em escassez na rotina de criar e pensar das pessoas.

A cultura está refém da tecnologia? Ou dos pais, que não ajudam seus filhos a conhecer uma árvore genealógico-cultural, só para saberem como as melhores ideias nasceram, quando melhoraram, quem contribuiu, quem poderia ressuscitar o progresso naquilo? Cadê os TCC´s com suas obrigatórias teses? Só serão arquivadas acerca de leitura? A educação está coagindo pensadores em função de reagir a crise mercadológica? A educação na cabeça dos pais e professores estão mais em crise que muito país por aí...

Gostaria de saber como se cria um gênio hoje em dia. Os últimos, estão bilionários e começaram sentados na frente do computador. Sinto falta de alguém que acreditava nos gregos, ou nos egípcios, que riu dos homens da caverna por inventar a roda e por fim, assimilar que foi de fato, a principal invenção desse mundo. Quem vai discordar do essencial dessa vida?

E Cultura não é isso? Entender o essencial de acordo com sua época e crenças? Antigamente o clero aprisionou o conhecimento, com uma palavra nada mística – “guardar”, para depois os burgueses e revolucionários libertarem tal conhecimento em troca de poder. Hoje a burguesia ainda existe e só está moderna... E modernidade não é modismo! É mais uma Era de descobertas, deturpada por um termo, conjurado para datar épocas. Não tá entendendo nada? Estou fazendo a linha do tempo em troca de pensamento, e quem quiser viajar comigo, leia amigo... Saia lendo filosofia, história das nações, literatura, mas não se engane com o funk. Não se engane com a bíblia vestida de vários misticismos que a sociedade precisa para aliviar a alma.

A Cultura não está assimilada, mas dissiminada por conta da moda. E por favor, funk não é arte, é algo entre o conceito mais primitivo da música, que é fazer barulho... e o outro algo, é o estupro da visão e das partes íntimas. Qualquer arte no Brasil está generalizada. Quem quiser conhecer o fundamento da cultura, pare de dissimilá-la com modismo. Volte a acreditar que os nossos antepassados deram sangue, pensamento, trabalho, acervo de informações enrustidas em obras primas, arquitetônicas e faladas. Use-as.

Acredite... A Ciência e a Filosofia são berços de uma nação. Então digo para a minha filha, “Você é o futuro da nação” – Ela faz cara de hã e sai ligando o fone de ouvido, Deus lá sabe ouvindo o que. Mas ela não entende (ainda), que coloquei o futuro nas mãos dela, e ela colocará nas mãos de seus filhos, e se não tiver, servirá de exemplo como ser humano. Ela repete o refrão do funk e repito – “Sai pra lá ateu”... E ela mais uma vez não entende, porque mal sabe o que significa ser ateu. Está na escola para estudar a vidinha de hoje, e não a vida de amanhã, agora me diz, tem vida mais besta, e cheia de moda do que essa?

Bom pessoal, esse é o recadinho da semana, uma crônica que sem seu pensar não é nada. Participem com sua opinião, um texto que complete nossos pensamentos, mande a sua crônica, seu texto, enfim, é só nos dizer para ver seu pensamento publicado. Grande beijo e até semana que vem!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram