Iatan GM entrevista: Edu Pereira

Hoje o PhD tem o prazer de apresentar a vocês o músico Edu Pereira. Eu conheci o trabalho dele pela internet mesmo, e não poderia ser egoísta a ponto de não compartilhá-lo com vocês. O Edu nos deu uma entrevista falando um pouco sobre ele e seu trabalho. Não deixem de conferir tudo abaixo!



Eduardo Pereira tem 26 anos e é natural de Blumenau – SC, está envolvido com a música desde cedo e passou por algumas bandas que o ajudaram a se descobrir musicalmente.

Você exerce alguma profissão ou trabalha apenas como cantor?

Na verdade, trabalho como jornalista em período integral há cerca de 5 anos. Apesar disso, a música sempre esteve presente na minha rotina e procuro dividir bem o meu tempo para conseguir conciliar meu emprego com esse hobby, pelo qual sou apaixonado.

Como surgiu seu interesse pela música? Há quanto tempo você canta?

Começou bem cedo. Meu pai é um cara bem afinado e sempre gostou de cantar, então ajudou a incentivar eu e meu irmão a nos envolvermos com música. Com 13 anos, fiz algumas aulas de piano e depois acabei me interessando pelo violão. Apesar de eu sempre cantar em casa, só tive coragem de soltar a voz em público um pouco mais tarde, quando eu e alguns amigos fizemos uma banda para tocar em alguns eventos da escola. O pessoal gostou e aí comecei a perceber que talvez eu poderia seguir por esse caminho.

A ideia de colocar vídeos dos seus covers de artistas internacionais no Youtube partiu de quem? Você começou mesmo com o Mikael no "uma voz um violão" ou em algum outro canal?

A ideia surgiu depois que descobri artistas como Tyler Ward e Boyce Avenue. Percebi que não haviam muito brasileiros com essa proposta e convidei o Mikael, que já havia tocado comigo em outra banda, para participar. Começamos com o canal "Uma voz, um violão" porque nossa proposta era essa, algo bem simples e intimista. Gosto de pensar que são boas músicas pra ouvir em um dia de chuva, como se a gente estivesse em uma sala jogando conversa fora.

Você optou por cantar essas músicas (de artistas que estão "bombando") por que gosta delas, ou você acredita que por serem versões de músicas já conhecidas teria uma visibilidade maior?

Principalmente porque eu gosto das músicas. Na primeira banda que participei, nosso repertório era quase todo feito de covers e isso sempre chamou minha atenção. A ideia de trabalhar em cima de uma música que já existe e deixar ela mais "com a nossa cara" é algo muito legal!



Você lançou um trabalho autoral, o CD "Graça" esse ano, certo? Foi o primeiro? Como foi para você como profissional a sensação desse projeto cumprido?

Lancei sim, em janeiro desse ano. Foi meu primeiro trabalho solo e também uma das formas que encontrei de compartilhar com as pessoas um pouco do meu gosto musical e daquilo que eu acredito. Ter o CD em mãos é algo incrível, mas melhor do que isso é saber que as pessoas ouvem as músicas e se identificam com aquilo que eu estou dizendo. É meio louco ver que algo que foi escrito no meu caderno de rascunhos está sendo cantado pelas pessoas, mas é uma satisfação incrível.

E quanto as composições, você mesmo compõe suas músicas?

Sim. Algumas delas são mais antigas, outras surgiram durante a gravação do disco. Mas todas elas contam um pouquinho da minha história e daquilo que acredito.

Como funciona o seu processo de composição?

Na verdade não tenho um método 9(risos). Em geral costumo compor uma harmonia e trabalhar a melodia ao mesmo tempo, mas já escrevi músicas em que fiquei apenas com a letra por muito tempo, e outras em que a letra demorou a chegar. Ler bastante, ouvir muitas músicas, conversar, enfim, são coisas que ajudam a dar o "start" no processo de criação, mas não tenho uma regra específica.


O "Graça" é um CD gospel, estou certo? Você como cristão, pode dizer se a indústrial musical hoje em dia abre mesmo espaço para esse genero musical?

É sim. Tenho percebido que o mercado está ficando cada vez mais receptivo a músicas de tema religioso, sejam elas rock, baladas ou mais congregacionais. As gravadoras estão percebendo que existe espaço para publicação desses discos, prova disso são a Sony e a Som Livre, que recentemente abriram espaço para artistas evangélicos em seus castings.

Como está sendo o processo de divulgação do seu CD?

Como esse é um projeto independente, a divulgação acontece principalmente pela internet, mas também já conquistamos uma boa visualização na região com publicações de matérias e entrevistas em jornais e na TV.

Você continuará lançando CDs gospeis ou pretende seguir outro estilo?

Ainda não pensei muito sobre um próximo álbum, mas não gostaria de ficar preso a um rótulo. Gosto de escrever e compor e não me importaria de lançar um trabalho com uma temática diferente. Então quem sabe venham algumas novidades por aí!

Qual seu gênero musical preferido?

Ouço muito rock e pop, principalmente de artistas internacionais, mas também aprecio bastante MPB e bossa nova.

E suas influências na música, quem são?

São muitas. Acho que nossa personalidade musical é construída com o tempo e sofre influência de diferentes épocas e estilos, mas as bandas e artistas que mais ouço ultimamente são Coldplay, Phil Wickham, Jessie J, John Mayer, Adele...

Você canta um mash-up de Poker Face e Moves Like Jagger em outro canal no Youtube, uma parceria sua com @marlongtr2, certo? Existem mais parcerias que você pode nos mostrar e comentar?

Verdade, o Marlon é o produtor do meu disco e um músico muito talentoso. Nossa proposta com o vídeo foi trabalhar um mash-up de duas músicas que gostamos numa pegada diferente e em breve vamos ter novidades por aí. Também já participei de outros projetos com músicos aqui da região, mas foram ao vivo e acabamos não registrando em vídeo.




E os vídeos do "uma voz um violão" vão continuar?

Vão! Em função de agenda e outros compromissos não conseguimos criar uma regularidade nas postagens, mas a partir de março vamos retomar esse projeto e esperamos que o pessoal continue curtindo esse trabalho com a gente!

Pra finalizar, como o público do PhD devem fazer para comprar seu CD?

O CD está disponível pela internet por R$10 + taxa dos Correios. É só encaminhar um e-mail para contato.edupereira@gmail.com que enviamos as informações necessárias. Quem tiver interesse em conferir e baixar as faixas gratuitamente também pode acessar a página do Soundloud, clicando aqui.
-

E então, curtiram o Edu? Além do link acima vocês também podem conferir o trabalho dele nos canais Uma Voz, Um Violão e Edu Pereira Vídeos. No Twitter  e Facebook.

Fica a dica: as músicas "Nova Manhã" e "Graça", do primeiro trabalho autoral do Edu merecem destaque pela letra e melodia! O cover de "E.T" da Katy Perry ficou fascinante, e o de "If I Die Young" é lindíssimo!

Esse foi nosso PhD Entrevista de hoje, espero que tenham curtido bastante!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram