Sara Richena: Minha última química e o meu quase Big Chop

11:05:00


Eu tenho sérios problemas com os meus cabelos e em todos os sentidos. Eu não aguento ele por muito tempo de uma tamanho, cor, textura e afins, sabe? Tá grande eu quero curto, tá enrolado eu quero liso e por ai vai. O problema maior não é nem o arrependimento, que bate um tempo depois, mas sim os danos causados aos meus fios e são muitos, diga-se de passagem. Faço química no cabelo desde 2006/2007 se não me engano, e desde esse tempo eu já: perdi toda a faixa central do cabelo, já tive quedas brutais dos fios que só de olhar caía, já fiquei com ele parecendo uma palha de aço ou pior que isso e mesmo assim após um tempo de tratamento, lá ia eu novamente e mandava ver no alisamento e/ou tintura. Lendo isso você pode pensar que eu não tenho amor pelo meu cabelo, mas eu digo que amor tem, só não tem vergonha na cara o suficiente para ver que era a hora de parar. Quer dizer, não tinha... Depois da minha última experiência eu realmente decidi que estava na hora de dar um tempo.  

Em dezembro do ano passado, quis alisar novamente mas não queria progressiva, queria algo que me fizesse dormir e acordar com o cabelo liso. Nessa época eu frequentava dois salões: um quando eu estava na casa do meu pai e outro quando estava na casa do boy (são cidades distintas). Para resumir a história um pouco, optei pelo serviço mais barato PALMAS e paguei muito caro por ele. Foi usado Guanidina no meu cabelo e fui instruída a ficar TRÊS DIAS sem lavá-lo. No segundo dia, acordei com um coceira/ardência muito forte e quando passava a mão sentia a volta toda da cabeça e pescoço empipocados no nível hard. Lavei o cabelo? Não! A teimosia feat burrice era tanta que eu só fui lavar a noite quando uma amiga e um pessoal de um grupo no Facebook sobre cabelos quase me obrigaram a lavá-los freneticamente antes que eu ficasse careca ou morresse por intoxicação. O efeito liso que eu tanto queria durou: UM MÊS! E depois disso meu cabelo ficou assim: a raiz e as pontas meio lisa, e uma parte encaracolada. Bonito, né? Não, eu não fui até o salão matar a infeliz e nem procurei outro para consertar o estrago. Fiquei na minha sobrevivendo aos poucos com esse lindo e adorável cabelo. 
Ficou seco? Na verdade eu prefiro dizer que ele ficou SECO ARREGANHADO. Sabe aquele tipo de cabelo sem solução? Assim mesmo que ficou.

Decidi que não passaria mais nada e fui dando um trato em casa mesmo. No começo desse ano, cortei uma boa quantia para poder ir tirando de vez aquela química, mas nada recuperava esses fios e ele ainda mantinha o formato: meio-liso-meio-enrolado-liso. Uó, né amiga? E agora pode dar na minha cara, pois mesmo assim estava planejando uma definitiva das boas. Até que certo dia precisei procurar outro salão para uma simples escova/chapinha... até ai tudo bem, mas quando fui lavar os fios em casa, subiu aquele cheiro tipico de química: OVO PODRE. Entrei em pânico! Conversando com amigas e com profissionais chegamos a conclusão que: ou a pessoa que lavou meus cabelos confundiu o shampoo com produto de progressiva (ou foi na maldade mesmo) ou havia produto na escova em que ela usou... sortuda eu, né? Se já estava uma maravilha, imaginem vocês o que não aconteceu com uma química por cima de uma Guanidina. Os fio ressecaram de vez, além de caírem e quebrarem.
do meu instagram: @sararichena com uma semana de BC
O que me restou foi respirar fundo e tomar uma decisão: BIG CHOP. Para quem não sabe BC é o termo usado para quando cortamos toda a química do cabelo. Eu prefiro dizer que no meu caso foi um QUASE, porque a minha franja está com química e apenas com dois dedos de cabelo virgem. Não ia rolar cortar, né? Acho que assim como a maioria das meninas que fazem o BC, demorei um pouco para me acostumar e aceitar esse novo cabelo, não por conta dos cachos, mas pelo tamanho. O que fez o meu ânimo melhorar um pouco foi pensar que "Melhor ele curto agora do que continuar daquela forma e ficar careca daqui uns dois meses". Sim, eu tinha grandes, enormes chances de ficar careca em pouco tempo, ou quase careca, com belas falhas pela cabeça toda. 

com duas semanas de BC

Agora a meta é hidratar, nutrir e reconstruir esses cachos loucamente. Outra coisa que me deixa feliz é que dessa vez eles estão muito próximos ao que eram quando criança, porque querendo ou não, depois da gravidez a estrutura do cabelo muda. Quero cuidar e dar vida novamente ao que Deus me deu, porque me bateu uma vontade de ter um cabelo encaracolado e longo. Sei que isso vai demorar, mas terei paciência (espero). Não vou dizer que jamais farei uma química, nunca sabemos o dia de amanhã, mas por enquanto o decidido é dar vida longa aos meus cabelos. Falei muito, eu sei, me desculpem, mas precisa pontuar todos esses fatos, pois quero dividir aqui com vocês a minha evolução capilar. E ai, alguém também passou por perrengues como eu? Beijos e até a próxima atualização cacheada.

Ps: Na foto da segunda semana, o cabelo parece estar menor do que da primeira, mas é o jeito de arrumar e dependendo do dia os cachos ficam mais grudadinhos na cabeça.

You Might Also Like

0 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe