Iatan: Os queridinhos da música de setembro


Seguindo a linha de postagem do mês passado, que apresentei meu queridinhos do mês, hoje trouxe para vocês a trilha sonora do meu setembro. Aumentem o som, espero que gostem.
Começo pelo "Oito", novo CD da Marjorie Estiano. A atriz/cantora lançou seu primeiro trabalho musical em 2005, quando estava colhendo os frutos do reconhecimento nacional após ser apresentada ao país fazendo parte de uma temporada bem sucedida da novela teen Malhação. Na novela, a atriz fazia parte de uma banda, o que já fez com que sua voz soasse familiar aos ouvidos do grande público. Os singles extraídos viraram hits nas rádios brasileira, e "Você Sempre Será" foi a música nacional mais tocada do ano no país. Segundo a Associação Brasileira de Produtores de Discos, o primeiro trabalho de Marjorie foi o vigésimo mais vendido de 2005.
Seu segundo CD foi lançado em 2007, e nesta época Marjorie já estava com uma carreira bem sólida como atriz e cantora, e seus trabalhos na TV acabaram por prejudicar a divulgação de "Flores, Amores e Blablablá". O nome foi tirado de um trecho da música Tatuagem, composição de Rita Lee, faixa que abre o disco.
Sete anos depois Marjorie volta para o cenário musical, e volta muito bem, com um CD minuciosamente bem trabalhado. "Oito" é um álbum pessoal, composto de onze faixas, sendo oito delas autorais, uma parceria com Martinália, outra com Gilberto Gil, e uma versão da marchinha  "Ta-hi", sucesso na voz de Carmem Miranda.
Marjorie chega com um estilo praticamente retrô, flertando gêneros diferentes. O CD tem uma sonoridade bem diferenciada e levou bastante tempo para ser finalizado, além de trazer uma identidade muito pessoal da artista. "Oito" foi lançado digitalmente no dia 16 de setembro, e a edição física tem previsão de chegar em outubro nas lojas.
Minhas músicas preferidas do "Oito" são: "Por Inteiro", "E agora", "Me Leva" e "Alegria Maior Não Tem".
Já faz uns anos que fui conquistado pela beleza e simplicidade do trabalho da cantora Tiê. A moça, contratada da Warner Music Brasil, lançou "Sweet Jardim", seu primeiro disco, em 2009.
No disco, Tiê canta composições próprias, toca piano e violão. As composições são bem pessoais, conquistadoras e delicadas. A base da maioria das canções é o violão tocado por ela, e a música título, “Sweet Jardim”, é um folk com os violões de Toquinho, que fez uma participação nesse primeiro trabalho da cantora.
Já imersa na MPB, Tiê lança "A Coruja e o Coração" em 2011, onde somos apresentados a uma Tiê que mantêm sua simplicidade, mas procura novos rumos para sua música. Se no "Sweet Jardim" o amor, a melancolia, e as desilusões dominavam, aqui a vibe é mais positiva, e isso é claramente notado em toda a positividade que o instrumental do disco exala, quando muitas vezes a composição segue no caminho oposto.
"Esmeraldas" é o mais novo disco de Tiê, e só eu sei o quanto ansiava por essa maravilha. O novo disco foi lançado dia no dia 23 de setembro, e trouxe 12 faixas inéditas, incluindo uma versão de “La Notte”, hit sentimental da italiana Arisa, que ganhou o título de "A Noite", e foi escolhido como primeiro single do CD. Inclusive, esse é o que mais se aproxima da sonoridade do primeiro disco da cantora. O "Esmeraldas" em si tem um trabalho bem mais forte dos arranjos, mais próximo da sonoridade de seu segundo CD. Ainda com letras expressivas, muitas vezes notamos um pop-rock sutil atravessando o "Esmeraldas". Tiê rompe as barreiras do folk, e deixa um pouquinho de lado aquela coisa de cantora voz e violão, sem perder sua identidade.
Minhas músicas preferidas do "Esmeraldas" são: "Urso", "Isqueiro Azul", "Mínimo Maravilhoso" e "A Noite".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram