Iatan GM: 5 motivos para ler "Perdão, Leonard Peacock"


Pra começo de tudo, essa não foi uma leitura premeditada. Comprei esse livro praticamente por impulso. Tinha visto alguns blogs falando sobre ele, até que chegou uma hora que a vontade apertou tanto que eu tive que parar pra ler. Mesmo não ter gostado taaaaanto assim de O Lado Bom da Vida.

Perdão, Leonard Peacock, novo livro de Matthew Quick, chegou aqui há pouco tempo pela editora Intrínseca, e eu digo com toda certeza que foi uma das minhas melhores leituras até então. Nele somos apresentados a Leonard, um jovem garoto que está completando 18 anos. Porém, seu dia não inclui festividades, nem comemorações, porque ele reservou esse data em especial para executar seu plano de matar seu ex melhor amigo e Asher Beal, e em seguida matar a si mesmo. Mas antes de tudo, ele quer entregar presentes para quatro pessoas que tiveram grande importância em sua vida.

Filho de pais divorciados, seu pai é um roqueiro-de-um-sucesso-só das décadas passadas, fugitivo da polícia, que já foi preso, e pelo pouco que se sabe, está foragido na Venezuela. Sua mãe é uma estilista famosa e muito ocupada, que vive em New York a trabalho, deixando Leo morando praticamente sozinho. A fiel companhia de Leo nesse dia é a P-38 de seu avô, que a usou pra matar um oficial Nazista, e inclusive, até ganhou uma medalha por isso.

Já deu pra sentir um gostinho do livro, e por isso eu deixo aqui mais alguns motivos para que vocês se aventurem nessa história com Leo.


1 Vai direto ao ponto

O livro não enrola, e acho que foi essa a diferença que notei entre ele o O Lado Bom da Vida. Leonard está certo do que irá fazer, e acompanhamos o seu dia. Não há informações desnecessárias, quando algum momento do passado é encaixado na história, já ficamos cientes de que será, de certa forma, importante no futuro.

2 Conflitos

O livro não é uma guerrinha entre grupos. Leonard está só na maior parte do tempo, ele se torna seu maior inimigo. Muita coisa passa na sua cabeça, ao decorrer da história conseguimos até compreender o motivo da sua decisão e de todo tormento que o persegue desde a infância.


3 É de autoria do Matthew Quick 

Esse é um ponto que não devia importar muito, mas vale a pena levar em conta. Pelo que se ouve falar do autor, já dá pra saber que o cara é inteligentíssimo e vai colocar sua cabeça pra pensar por um tempinho bem relevante. Uma pergunta que ficou por um bom tempo na minha cabeça foi quantos Leonards Peacocks devem haver por aí, e a gente não sabe. 


4 Abraço, Leonard Peacock

Não sei se fui o único a me apegar pelo protagonista da história, mas se você leitor(a) é do tipo que se apega fácil, eu digo que você vai entrar em um relacionamento com o Leonard. E, em algumas partes do livro, tudo que você mais vai querer fazer é abraçá-lo.


5 Reviravolta

O livro corre em direção a um fim que pode ou não ser previsível. Mas ocorre diferente do que imaginamos durante toda a leitura. Achei uma conclusão suficiente, como se fosse o fim de mais um dia. É ler pra saber.


Então, encerro por aqui, a dica foi dada. Aos interessados: desfrutem da leitura!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram