# Fofoca PhD: O Papa é Pop?

08:00:00

O Papa é Pop ?


Notícia: "Pais levam os filhos para plantão à espera de beijo do Papa." 
Fonte: TV Uol

Fofoca: O Papa é Pop?


Fofoqueira Tuka: 

" Acredito que o novo Papa reconquistou a simpatia do público. Não que o anterior não tivesse o seu carisma, mas acredito que o que o anterior não conseguia era conquistar naturalmente. Ele conquistava porque era Papa. E conquistava somente os fiéis católicos. Hoje o Papa' Chico' conquista até pra quem não liga muito pra tudo isso. E o que acredito é que isso deve-se ao fato do novo Papa ser verdadeiramente simples, humilde e simpático. Seja pelo seu sangue latino, seja por sua verdadeira índole, a verdade é que fazia tempo que uma figura religiosa não causava tamanho alvoroço assim. Mas, pelo pouco que acompanhei, vejo que a mídia está levando isso muito além do que o próprio Papa desejaria. Por exemplo: na última quinta-feira até tentei assistir o jornal para saber o que acontece no mundo, mas não consegui! A única pauta abordada pelo Jornal Hoje foi a visita do Papa. Nem um trem capotando na Espanha fez o noticiário mudar o foco. Talvez a grandiosidade de tudo fique muito mais por conta da mídia do que do próprio Papa, já que seu estilo de vida não mudou nada desde que assumiu o seu mais novo cargo. Pra vocês verem que não estou aumentando, vejam a foto acima. O trono dourado agora é uma cadeira de madeira. Francisco recusou a estola vermelha bordada a ouro. Ainda usa os mesmos sapatos velhos. Sua cruz não possui nenhum rubi ou diamante, e é feita de metal. Ainda usa suas calças pretas abaixo da batina, assim como os outros sacerdotes e não usa mais o tapete vermelho. Acho que o novo Papa nem é tão pop. Acho que o novo Papa é todo rock'n roll!"

Fofoqueira Sara: 

Sou de formação e criação católica, passei boa parte, ou melhor dizendo, passei minha infância inteira dentro da igreja pelo fato do meu pai ser Diácono, até catequista já fui. Mas isso não me transformou em uma Cristã fervorosa, daquelas que abrem mão de tudo para viver em função da religião e que se tornam cegas aos defeitos que existem dentro dela, porque sim, vocês podem não concordar comigo, mas em toda religião existem atos falhos, mas acredito também que isso dependa da pessoa, talvez muitos não vejam como defeito o que eu possa ver ou vice-versa. Hoje em dia não sou tão praticante assim e confesso que sempre tive interesse pelo Espiritismo, e quando o Papa Bento foi eleito eu passei a ter menos interesse, sabe quando você desconfia da pessoa assim que olha na cara? Pra mim o Papa Bento em nenhum momento foi de verdade um Papa, assim como havia sido João Paulo II, sempre exibindo a riqueza e o ouro. Acredito que foi uma benção esse homem ter renunciado ao cargo, a igreja católica estava perdendo o seu valor e o seu rumo com ele no poder. Diferente do seu antecessor, o Papa Francisco desde o inicio mostrou ser um homem humilde, do bem e que estava verdadeiramente querendo resgatar os princípios da sua religião. Escolheu o nome Papal em homenagem a São Francisco de Assis, um homem que fez votos de pobreza e que se dedicou aos animais. Francisco conquistou fiéis de outras religiões e até aqueles que não são seguidores de uma específica, afinal Deus é um só e está em todos os lugares. Conquistou tanto que a mídia está se fartando de todos os seus passos nesses dias em que visita o Brasil, a cada respiro que ele dá a programação é interrompida e vemos um Papa acenando para a multidão que o espera no frio de 10 graus, o vemos visitando uma favela, uma casa humilde, o que o seu antecessor não fez. O vemos beijando crianças e idosos, o vemos dizendo que é só por mais água no feijão. Talvez esse exagero da mídia seja porque realmente estávamos órfãos de um Papa de verdade, de alguém que resgatasse a fé nas pessoas, que não nos deixe perder a esperança de que o mundo pode e deve ser melhor através do amor."


Fofoqueira Soraia: 

Na minha opinião, nada que seja extremista é bom. Seja isso em religião, política, amor, enfim, nada. Acho louvável a presença do Papa aqui, como acho louvável a marcha dos fiéis, e tantas outras manifestações aqui atestadas. Aliás, me reconforta saber que hoje, apesar de casos isolados de preconceito, não sofremos processos inquisitórios por escolhermos este ou aquele caminho com relação a Deus. Minha única ressalva é com esta onda de convencimento que nos assola. Parece-me que há uma necessidade vigente em provar que uma religião é melhor que a outra. Como se não tivéssemos um só Deus. Fé não se impõe; se manifesta. Não podemos forçar as pessoas a seguirem uma determinada religião ou opinião. Trata-se de uma escolha. Escolha esta muitas vezes desrespeitada dentro de casa, quando alguém nos obriga a dizer que somos isso ou aquilo, ou ainda quando um estado que se diz laico toma atitudes que não condizem nada com o que ele prega. Não tenho pacto com o demônio, não sou ateia, só odeio quando forçam uma barra no sentido de santificar ou bajular ou ter que seguir determinado caminho. Acredito em Deus e ponto."

Fofoqueira Gita: 

Não sou católica, e confesso certa antipatia pelo catolicismo. Mas a explicação vem de longa data, desde pequena ouvindo de filósofo e teólogo que a própria bíblia tem seus caminhos tortos, escritos em prol da política e poder, porque naquelas Eras, a religião (Cristianismo) é quem governava um país, uma nação. Então por isso, creio que a minha opinião seja radical, porque vejo como todos a diferença entre um Papa que não tinha forças para mudar a situação moral da Igreja, e que foi escolhido num conclave cujo princípios são arcaicos, e outro que é a encarnação da salvação, porque é de fato idôneo, simplório, (veja bem, simplório e não simplista) e que é o Papa tão esperado pela sociedade para mudar o julgamento atual que a maioria da população tem a respeito da religião. Óbvio que difamação, atrocidade, fatalidade, são adjetivos que nenhuma Igreja irá aderir, mas todas são erguidas pela mesma mão do ser humano. Portanto, não será anormal qualquer religião sofrer de condenação. Pra mim, o que estamos vendo, é um Papa capaz de exercer sua função eclesiástica de acordo com os princípios do catolicismo. O Papa Chico é atualizado, é leal e cúmplice aos seus votos de fraternidade, sua conduta é muito além do necessário, a sua postura já é um exemplo que gera conforto, suas atitudes não são de submissão ao papado, mas a mensagem de fé para o mundo. Ou seja, se o conclave desta vez mudou o marketing, eu não sei... Se a igreja católica está mais uma vez querendo ser o poder de uma nação, também não sei, se os filósofos e teólogos irão dizer que a igreja está no caminho certo, é bem provável. O que acredito acima de tudo, é que não estamos mais na Era que uma Igreja irá tomar lugar da política ou ter o poder como tal. Acredito ainda, que hoje em dia, o papel da religião está cada vez mais em branco, porque nossa nação está cada vez mais eclética quanto as suas escolhas por caminho de fé. E para concluir sobre o Papa e o Catolicismo, acredito que ele é um escolhido de Deus pelo acaso da fé, é um escolhido dos homens por questões capitais, e que é um escolhido do povo por questões desesperadas e esperadas. E quem tem esperança que acredite nele e nesse futuro de melhoras para a Igreja Católica e de quebra, para outras religiões que também teu seus problemas em angariar a fé alheia. Ah! e para opinar sobre a atuação da mídia, em alienar o Papa como Rei Papal, não achei nada melhor que a música do Engenheiros do Hawaí - O Papa é Pop. Diga aí Engenheiros..."








You Might Also Like

0 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe