Nos pequenos frascos...

08:00:00

Tampinha de garrafa, anã de jardim, pintora de rodapé... quem com menos de 1.60 de altura nunca foi chamada assim na época da escola, ou pelo seu irmão mais velho? Ser baixinha, em algum momento da vida de alguma garota, não foi motivo de orgulho, mas isso não pode passar da fase bode da adolescencia, né?

Primeiro, vamos conhecer celebridades lindas de morrer, que passam um pouco mais de um metro e meio.




Essas lindonas causam estragos mesmo sem salto, não acham? Que tal a gente conhecer agora mais 3 lindas, gente como a gente, e aprender com elas como ser uma baixinha toda cheia de charme, aceitando suas formas, estatura e valorizando tudo de bom que você tem?




"Ser baixinha não é muito fácil. Roupas podem esconder quilos a mais, valorizar pontos positivos, disfarçar negativos. Mas, para quem é baixinha, não existem muitos caminhos alternativos e, no meu caso, ainda que eu use um salto dez, ficarei com menos de 1,70. Minha altura? 1,56. Sentiram o drama? (risos)
Nunca fui motivo de risos, alvo de piadas na escola. No entanto, quem não gosta de algo no seu corpo, não precisa de forças externas para fazer com que se sinta mal. Basta olhar no espelho. Lembro-me perfeitamente de rezar todas as noites, dos dez aos doze anos, para que Deus me desse pelo menos mais quatro centímetros e que eu tivesse no mínimo 1,60. Obviamente Ele tinha coisas mais importantes com que se preocupar. Isso me chateava, me entristecia. Minhas amigas eram altas, tinham mais de 1,70, e por mais que  usasse salto, elas sempre chamaram muito mais a atenção do que eu.


Para compensar essa "deficiência", usava e abusava de saltos altíssimos, com no mínimo 10 cm. Os sapatos eram, em sua maioria, horrorosos, mas, para mim, o que importava era pelo menos parecer mais alta. E esse sentimento durou até meus 20 e poucos anos.
Creio que com o passar do tempo você vai aprendendo a lidar com seu corpo e com as armas que você tem. Isso porque, além de ser baixinha, tenho o que chamam de corpo de violão. Nunca conseguirei ser uma Gisele B.. E, embora esse seja o padrão da maioria das brasileiras ("corpão"), não são elas que estampam as capas de revista e isso faz/fez com que eu e muitas meninas nos sentíssemos inferiores ao padrão imposto por "modelos".

Hoje, uso roupas que fazem com que eu me sinta bem. Aprendi a usar Havaianas (sim, antes não usava nem chinelo que não tivesse plataforma), sapatilhas e tênis. Valorizo pontos fortes e disfarço imperfeições. Percebi, por exemplo, que bermudas me deixam ainda mais baixinha. Dou preferência a roupas abaixo do joelho ou pelo menos um, dois palmos acima. Ignoro cortes de cabelo curtos, que são extremamente sugeridos a pessoas mais baixas. Por ter cintura fina, opto por roupas que sejam mais acinturadas.


Também curto decotes, pois destacam meu colo (o qual eu particularmente gosto muito). Travo um verdadeira luta para conseguir uma calça jeans que me sirva. Visto 38 e, portanto, muitas ficam absurdamente compridas. Tenho sempre que mandar cortá-las. Enfim, com a idade, passei a me aceitar mais e brincar com que Deus me deu. Não é fácil. Ainda brigo comigo e com o espelho, mas superei as piores fases. "



"Que delícia voltar ao PhD ao menos por um dia, e pra falar de um assunto que ao longo do tempo fui obrigada a entender. Sempre fui a menor entre as pessoas da escola, e de qualquer lugar, 1,52 de altura é pra poucos! Quando pequena tinha aquelas zuações básicas da galera, o tio da bilheteria do cinema que me pedia RG pra ver se eu podia ver o filme, coisas do tipo...
O mais difícil foi eu entender que baixinhas também podiam se arrumar bem. Com o tempo a gente aprende as vantagens, como por exemplo, poder se dar ao luxo de usar saltos de 12 cm ou mais (só tenho assim), e pra quem não curte ser confundida com uma adolescente de 14 anos, assim como eu, podemos sempre ousar na make up e figurino para parecer ter a idade que temos.
Por ser pequena me tornei fã dos shorts, saias e vestidos, não sei porque, mas acho que mostrar as pernas dá uma leve ilusão de pernas longas, parece até que somos mais altas (na ilusão somos - risos), por isso, uso calça jeans só quando vou ao trabalho ou está muito frio, se não, seja pra dia, tarde ou noite, lá vou eu e minhas pernas de fora.


Se tratando de blusas, acho que podemos abusar de tudo, mas por já usar a parte debaixo mais curta, tento tomar cuidado pra não cair na vulgaridade - decote está liberado, mostrar a barriga também, desde que você não fique vulgar, pois tudo deve ter um equilibrio e combinar com o ambiente que irá.
E nos pés abuse do salto, tem gente que acha que dói o pé na balada, mas eu acho que podemos nos acostumar com tudo nessa vida (risos). Um dia, de tanto usar você vai perceber que aqueles 12 cm ajudam no quesito pernas longas, e fora que é um charme né? Difícil é se manter controlada nos contras com tantas opções de saltos maravilhosos.
Outra coisa que acredito ajudar a disfarçar a estatura é o cabelo: as longas madeixas parecem esconder o pescoço, já os curtos sinto que dá uma cara de maturidade, ou independente.
No mais acho que é isso, aceite o seu tamanho, pois os homens adoram mulheres pequeninhas (e a gente continua pequena em cima do salto) e somos lindas como somos. Foco no seu estilo, cuidado com o vulgar e se joga."



"Meu nome é Thais, tenho 23 anos e tenho um 1,55 de altura. :)
Sou baixinha e nunca tive muitos problemas com isso, na época de escola a maioria das minhas amigas também eram tamanho "P", então isso sempre foi normal pra mim...
Claro que se pudesse escolher teria uns 10cm a mais, só para não sofrer mais na hora ver shows na pista e não enxergar nada se não estiver na área VIP - isso sim sempre foi um problema em ser baixinha, assistir o show do telão.
Mesmo não achando que ser baixinha é um defeito, têm roupas que não caem bem, assim como algumas não ficam bem em magrinhas, gordinhas ou altas. Com o tempo fui descobrindo o que favorece ou não à minha estatura... Vestido longo, por exemplo, geralmente fica estranho e te "achata" ainda mais. Como geralmente as pequenas não possuem pernas gigantes, acho que devemos abusar das saias, shorts e vestidos curtos (usando o bom senso no "curto", é claro, hehe), e cinturas altas também dão uma alongada nas pernas.


Também prefiro calças skinnies e leggings, as mais largas também me dão a impressão de "achatamento".


Trabalho em uma produtora de comerciais e o ambiente é bem mais informal do que a maioria das empresas. Isso é ótimo, mas as vezes é estranho perceber que a roupa que você vai trabalhar é quase a mesma que você usa pra sair - você acaba sentindo falta de variar mais, afinal já está "arrumada" o dia inteiro! No caso do shortinho ou saia, geralmente coloco uma meia-calça para disfarçar o comprimento ou quando está friozinho mesmo. Bom, é isso... ser baixinha pra mim não é problema, e acredito que podemos nos arrumar muito bem!"
-
Se identificou com as meninas? Se você é da turma das perninhas curtas, viu que não precisa desanimar, não é? Basta valorizar os pontos mais bacanas no seu corpo e aprender a se sentir bem com o corpo que tem! Se você quiser saber um pouco mais sobre o que você pode usar e abusar para valorizar seu corpo, clique aqui e veja as dicas que a Gloria Kalil deu em seu site, o Chic.
Sobre o mito da saia longa, sabia as pequenas podem usar SIM? Basta escolher o modelo certo, como as prisadas e de cintura alta. 


E chega de se sentir feia ou menos sensual, hein meninas? 
-
Este tema foi escolhido por vocês, sabiam? Uma leitora respondeu nosso questionário e sugeriu o tema, assim como o da Sarry na semana passada. Quer deixar o PhD a sua cara? É só clicar aqui e responder nossas perguntinhas. É rapidinho!
Se gostou do tema? Dê um curtir aqui embaixo e não esqueça de deixar sua opinião. O PhD agradece ;)

You Might Also Like

4 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe