O consumo consciente

13:16:00



Em dias de crise, a frase mais clichê do mundo nunca foi tão verdadeira: não está fácil pra ninguém. Tudo no mercado está absurdamente caro, ultimamente todo mundo anda pensando 300x antes de comprar uma blusinha e sair está cada vez mais difícil. E pra que as coisas não saiam dos eixos, a melhor coisa que temos a fazer é adotar o consumo consciente. 
Acredito que são poucas as pessoas que já pensam no amanhã antes mesmo do hoje dar errado. Quando temos dinheiro na conta sobrando, é difícil pensar em poupar quando aquela promoção na sua loja preferida está te chamando. A gente sempre tem necessidades. Nunca estamos contentes com o que já temos.
E o consumo consciente já é o breque que precisamos em frente à uma vitrine. O freio de mão quando aquele email de liquidação chega em sua caixa de entrada. Conseguimos enxergar diversas possibilidades em coisas que antes pareciam inúteis, e isso pode ser incluído em diversos setores da sua vida: do seu guarda-roupas, à sua cozinha e decoração de casa. Pode tornar-se um hábito com disciplina, dedicação e paciência, e como economizar é algo atemporal, mesmo que a crise não te abata, poupar os seus ganhos pode servir também para realizar um sonho, ter uma reserva em um imprevisto, investir em algo ou fazer aquela tão esperada viagem sair do papel.
Feitas tais ressalvas, podemos pontuar agora algumas ideias "desconstrutivas" para que o consumo consciente faça parte da nossa vida sem dor. E posso adiantar que é tudo uma questão de controle pessoal e criatividade.

1. Teste suas habilidades manuais

Hoje podemos usar a tecnologia ao nosso favor para aprender inúmeras coisas, como customizações, um "faça você mesmo" (o famoso DIY), ou até mesmo pegar algumas dicas em blogs e portais e poupar cortando gastos superficiais, com uma hidratação no cabelo feita em casa, ou botando a mão na massa na hora de fazer as unhas. Pode parecer besteira, mas se juntar 30 reais de uma semana, 15 da outra, 100 daqui, 40 de lá, no fim do mês tudo isso junto já renderia uma graninha.

2. Seja BFF do Pinterest

Vocês conhecem o Pinterest? É uma rede incrível de inspirações, na qual você pode montar painéis e "pinando" as ideias que você mais gosta. Eu particularmente amo aquilo lá, e quando tenho tempo, me perco naquele monte de imagens que nem sinto as horas passarem!
Eu acho o Pinterest extremamente funcional em diversos setores da minha vida, e uma das soluções mais importantes que ele me traz são as ideias do que vestir (procuro uma peça de roupa específica que tenho em meu armário e vejo aquele leque de opções que posso usar com ela), e super funciona quando você tem uma blusa ou uma calça que você não acha muito versátil, e percebe que aquela peça pode ser um curinga na sua vida! É nele que consigo dar segundas chances para coisas que eu tinha aposentado ou perdido o interesse. Dá pra reciclar muitas coisas que nem desconfiamos.

3. Se for comprar uma roupa, que seja algo que terá muita utilidade

Escolha algo que você possa criar diversas combinações diferentes, principalmente se a peça for cara. Nunca invista uma grana alta em algo que você só vai poder usar com aquela calça ou sapato X, ou pior, em algo que só combina com Y ou Z que você nem tem. Quanto mais versátil ela for (pesquise no santo Pinterest), melhor.

4. Repagine seus móveis

Tem horas que a gente enjoa da cara da nossa casa que nem mudar os móveis de lugar ajuda mais. E entrar em uma reforma ou mudar a decoração requer dinheiro, né? Já pensou em envelopar aquela mobília sem graça? Ou pintar aquela cadeira sem vida? Colar um papel adesivo bem bonito em uma das paredes? Digo mais uma vez, no Pinterest há diversas ideias deste tipo, além de canais incríveis no Youtube dedicados à este tema. Isso também vale para quem está saindo da casa dos pais - existe muitas possibilidades em nossa velha mobília que a gente nem acredita!

5. Faça uma planilha

É muito importante você ter noção de quanto ganha e de quanto gasta. E só nos damos conta do quanto podemos gastar quando mantemos este controle como um hábito. Incluindo em uma planilha o nosso salário, os gastos do cartão de crédito e outras contas, é possível saber se aquele jantar com os amigos não te deixará apertado no fim do mês, ou se uma viagem no final de semana te deixará negativo no banco. Gastar no escuro ou contar com a nossa memória nem sempre dá certo. E lembre-se: primeiro se paga as contas, depois vem os gastos aleatórios.

6. Se questione antes de comprar

Eu já não tenho algo parecido com isso? Quantas vezes eu usarei? É uma necessidade ou uma compulsividade? Eu quero ou eu preciso? Tenho onde guardar? Ficará mais guardado do que sendo usado? Tem algo que eu precise mais do que isso?

7. Atenda suas necessidades reais

Você está precisando muito de roupas íntimas novas, mas ao invés de comprar isso, investiu em uma vestido maravilhoso que estava na promoção, caso pinte algum casamento ou festa. BEEEÉE você está fazendo isso errado. Não adianta sair de calcinha furada e guardar no fundo do armário um vestido que sabe-se lá Deus quando você vai usar. Isso vale também para projetos. As vezes a gente deixa de investir em um curso profissionalizante que estamos doidas pra fazer por falta de dinheiro, mas gasta o mesmo valor da mensalidade em coisas superficiais, como algum projeto futuro que depende de mil coisas pra acontecer de verdade. Invista no presente, nas suas reais necessidades de agora, no que você realmente precisa hoje. Deixe pra pensar no amanhã só amanhã mesmo, porque as vezes as coisas mudam no percurso e aquilo que se esperava acontecer fica pra escanteio, e você acabou gastando de besteira.

8. Conheça a incrível experiência de cozinhar

Cozinhar pode parecer uma coisa chata, mas na hora do aperto vira a coisa mais divertida do mundo, pode apostar! Em um momento de crise, a gente não pode deixar de ver os amigos e/ou o namorado, mas podemos adaptar esse encontros para algo que custe menos. E assim como o cinema do final de semana pode virar uma pipoca com Netflix no sofá, as idas constantes aos restaurantes podem se tornar uma turma cozinhando e experimentando novas receitas de um site ou de um programa de TV. Sério, o resultado pode ser muito legal, principalmente se todo mundo estiver envolvido. Cada um traz uma coisinha e o gasto é baixo.

9. Curta a verdadeira essência das pessoas

Tem gente que acha que só dá pra se divertir gastando muito, e esse pensamento é completamente equivocado. Você não precisa viajar todos os finais de semana ou ir nos lugares mais badalados do momento. Desfrutar da essência das pessoas ao nosso redor pode ser tão divertido quanto inspirador. E acima de tudo, ENRIQUECEDOR. As vezes, é melhor ter uma tarde deliciosa em um parque com alguém, conversando sobre coisas aleatórias, ou passar uma noite em claro dividindo um vinho com uma amiga do que ir para uma balada onde vocês duas não vão trocar uma só palavra por conta do barulho. Claro que sair de vez em quando pra dançar libera uma energia acumulada que nem sabíamos que existia, mas para quem quer economizar, não ser dependente disso é algo libertador. E se não tem dinheiro pra sair, dance na sua sala, com sua amiga ou não. Depois de umas taças de vinho, isso ficará mais fácil, rs.

10. Curta a sua companhia

Não ter dinheiro para sair, ou querer economizar para investir em outra coisa se torna menos depressivo se você curte a sua própria companhia, o seu canto, as suas coisas. Leia aquele monte de livros que você comprou só para enfeitar a sua estante, assista à filmes e programas novos, aprenda uma receita inusitada, medite, relaxe, se cuide, se namore, SE AME! Não há melhor tempo investido que aquele que gastamos com nós mesmos.

Imagem: Superinteressante

You Might Also Like

0 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe