Soraia: Amigos: a família que a gente escolhe


A abordagem sobre amores continua. Nas próximas semanas vamos falar de amores que aparecem em nossas vidas e que passam a fazer parte de nossa história. E o tema deste artigo será um deles: os amigos.
Uma amizade pode surgir de diferentes formas, basta estar atento às possibilidades. Podemos, por exemplo, ficar amigos de vizinhos, de colegas de classe, de colegas de trabalho, de professores, de pessoas que frequentam a mesma academia ou curso de línguas, entre outros. E, graças à tecnologia, podemos ainda encontrar ótimos amigos em redes sociais, comunidades virtuais e chats. E se, por um lado, familiares são pessoas que amamos, mas que não escolhemos, por outro, amigos são aqueles que podemos pesar em uma balança se vale ou não ter a pena por perto. E isso faz deles “a família que podemos escolher”. 


Quem nunca passou por um acontecimento na vida em que teve mais suporte de um amigo (e, teoricamente, um estranho) do que de um familiar? Quem nunca se sentiu mais a vontade na presença de alguns amigos do que pessoas que estão conectadas a nós pela genética? Isso ocorre porque um laço sanguíneo nem sempre significa uma conexão de alma, e, muitas vezes, é esta segunda conexão que faz com que superemos problemas, compartilhemos alegrias e confidenciemos sem medo parte de nossos segredos. Este blog é um exemplo disso que estou falando. Pessoalmente, conheço apenas a Tuka. No entanto, por diversas vezes conversei online com Gita, Sarry e Iatan, que fizeram questão de me ajudar, aconselhar e vibrar com as minhas conquistas. Assim é a vida: os amores vêm para se complementarem e não serem excludentes. Família e amigos, portanto, são amores que alegram a nossa vida, independentemente de sua origem. Até a próxima!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Instagram