Soraia: Como uma luva

08:00:00

Desta vez, o tema da coluna não é complicado de desenvolver e é um dos itens mais importantes (se não for o MAIS importante) do casamento: o vestido de noiva. Confesso que o vestido dos meus sonhos foi se adaptando ao tempo e à idade. Conforme os anos vão passando, as prioridades e os gostos mudam, e, com isso, o vestido também vai se moldando ao seu momento. Assim, aquele vestido cheio de pedrarias, mangas bufantes, milhões de camadas na saia e com uma cauda enorme estilo Lady Di, deu lugar a um vestido simples, quase sem cauda e sem qualquer brilho.

A primeira coisa que a noiva tem que ter em mente não é necessariamente um modelo pronto, mas sim ter ideia do próprio corpo. O que quero dizer com isso? Simples. Amiga, se você está um pouco (ou muito) acima do peso, cuidado com o volume do vestido ou o tipo de decote que irá usar; vestidos tomara que caia não são indicados para mulheres que não possuem muito seio; o volume também deve fazer parte das preocupações de baixinhas como eu. Portanto, além desses detalhes, transparências, decotes extravagantes e fendas requerem corpos e bom senso por parte da noiva.

Outro ponto que deve influenciar na escolha do vestido: data e local do enlace. Tenha consciência da época em que ocorrerá o casamento (Por exemplo: verão – muito calor e chuvas repentinas; inverno – frio e garoa). Passar muito frio ou muito calor durante a cerimônia e a festa não é agradável, e pode ser facilmente evitado se houver planejamento e, novamente, bom senso. Idem ao quesito dia e noite. Excesso de brilho ou a ausência dele pode comprometer a beleza do vestido. (E nenhuma noiva quer ficar feia no altar, certo?!)

A mesma coisa com relação ao local. Se for um sítio ou um casamento na praia, as roupas tanto dos noivos quanto de convidados podem ser mais casuais. Já se o casório tiver uma cerimônia religiosa seguida por uma recepção, deve-se ter a preocupação de não ser muito extravagante (e entenda por isso cheio de transparências e decotes exagerados).

Tendo isso em mente, sugiro que visitem sites de vestidos (nacionais e internacionais) e comprem pelo menos umas cinco revistas. Ambas as opções são importantes fontes de pesquisa e ajudam a ver modelos que lhe agradam e atendem aos quesitos expostos acima. Recorte, imprima ou salve em seu computador as imagens para que você tenha exemplos do que quer e também para mostrar ao estilista quais são suas vontades e expectativas. Munida disso, saia a procura de um local para realizar seu sonho.

Esses locais podem ser tradicionais ou populares e variam justamente de acordo com o seu bolso. Um vestido pode custar de R$ 25 mil a R$ 400, desde que a noiva saiba o que quer, como por exemplo, alugar ou comprar a peça. A compra geralmente sai cara, mais de 50% acima do valor pago pelo aluguel, e ela não é a primeira opção das brasileiras. Em uma rápida pesquisa pela rua São Caetano, local muito procurado pelas noivas paulistanas que fica próximo à Estação da Luz e Pinacoteca do Estado, a maior parte delas vão optar pelo primeiro aluguel ou simplesmente por alugar roupas.

Para aquelas que, como eu, optaram pela opção do primeiro aluguel, a sugestão é, “para variar”, pesquisar. Munida da fotografia do meu vestido e de um tênis confortável, fui fazer uma cotação do meu vestido. No primeiro lugar que parei, o mimo saiu por nada mais nada menos que R$ 8 mil (sem a mantilha). E, amigas, estamos falando de um primeiro aluguel de uma loja bem conhecida! Anotei e continuei andando. Na segunda loja, o vestido já saía por R$ 4.600 (sem a mantilha) e, na última, surpresa: R$ 3.600 (sem a mantilha). Perceberam? Da primeira para a última loja foi uma diferença de 45%, só por conta da grife.

Se você ainda achou esse preço salgado, outra opção é o simples aluguel. Escolhe-se um modelo já pronto e que normalmente foi usado por diferentes noivas, e aluga-se. A economia é superior a 40% nesse caso.

Além dos preços, as noivas mais desavisadas e que normalmente não têm tempo disponível, como é o meu caso, devem estar atentas às formas de atendimento dessas lojas, uma vez que 99,9% delas funcionam apenas com horário marcado.

As noivas que não têm tempo nem dinheiro podem também optar por reformar os vestidos de suas mães, avós e irmãs, algo que vai além de uma homenagem a familiares, ou ainda importar seu vestido por meio do site Tidebuy. Além de não pagar frete, a compradora pode escolher diversos modelos que custam aproximadamente R$ 400 (os valores dos vestidos estão em dólar).

Viram só, meninas? Sobram opções e lugares para realizar seus sonhos. Assim, basta respirar fundo e ver qual é a melhor alternativa para você.


You Might Also Like

0 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe