O que eles querem, do que eles gostam.

08:00:00

Passados 3 anos da nossa primeira postagem aqui no PhD, senti a necessidade de conversar com você, querida leitora, sobre o que se passa na cabeça dos homens. "Mas Tuka, não é o que a gente sempre conversa ao longo destes 3 anos?". Sim lindona, é exatamente isso, mas nunca paramos pra perguntar diretamente a eles o que exatamente passa por suas cabecinha masculinas pensantes, não é?
Colocando em prática que cada um tem seu gosto, personalidade e desejos diferentes, resolvi chamar alguns amigos bem distintos, de diferentes cantos desse nosso Brasilzão pra dizer sinceramente na nossa cara... Eles possuem modos de vidas, culturas e pensamentos diferentes. Portanto, fica mais fácil, de uma forma mais limitada, porém coerente, o que nós nunca conseguimos entender diante dessa relação gato e rato que é se apaixonar. E a pergunta escolhida foi...

O que te faz se apaixonar, e o que te faz sair correndo?

Primeiramente, vale lembrar que nenhum dos meninos aqui presentes são responsáveis pela solução dos seus problemas, tá bee? Só tentaremos desmistificar essa coisa de que comunicação entre homem e mulher é falha. Aqui no PhD ela pode até tardar, mas falhar, NUNCA!

James Franciscus – São Paulo
Facebook

"Hoje me senti lisonjeado por receber o convite da minha amiga Tuka para comentar no PhD, um blog que sou fã de carteirinha! Interessante e divertido acompanhar o universo feminino através do prisma destas PhD’s (um universo que nem Einstein ou Hawking arriscaria desvendar).

A missão trata-se de um depoimento sobre o que me atrai ou afasta na personalidade das mocinhas no quesito relacionamento. Tarefa difícil para um libriano solteiro de 32 anos! Afinal, esta já não é mais a fase em que basta aquela cinturinha inebriante com um sorriso agradável brilhando no rosto, fase em que já namorou o suficiente para achar que sabe o que gosta ou não em alguém.

Tirando de lado as experiências da 'balada', onde todas as gatas são pardas, tudo começa com aquele ritual padrão para potenciais relacionamentos sérios: a famosa 'entrevista', quando marcamos o primeiro jantar a luz de velas em que ambos procuram se conhecer e descobrir interesses em comum. Nesta fase ainda encantados com a novidade raramente damos o devido peso aos pontos que vemos que não gostamos, procurando ser o melhor para o outro. O ritual segue com uma calorosa despedida e a noite termina perfeita! A coisa complica depois de um tempo em que passa a paixão e a novidade e começamos a ver não mais aquilo que queremos e sim o que é de verdade, reiniciando o ciclo do outro lado da cidade.

Voltando ao objetivo do assunto, neste momento não só a personalidade começa a ter maior peso, mas também os objetivos e valores da mocinha. Gosto de bom humor, personalidades fortes e marcantes, com opinião própria. Personalidade atraente não surge de quem pensa igual, mas quem nos faz pensar por outros ângulos, dentro dos mesmos valores e objetivos. Me considero um cara tradicional, e como tal, corro longe de garotas sem feminilidade (na moda hoje), escandalosas e gritando então é triste... é até divertido garotas caçadoras por uma noite, mas invertendo os papéis acabam com a maior graça do flerte, aquela tensão que vai se acumulando!

Flerte gostoso é aquele “dá um pouco, tira um pouco” natural, sem exageros! Mulher interessante tem sempre uma dose de sensualidade e malicia de uma mulher madura com uma dose de docilidade de uma mocinha de 15 anos. Relacionamento agradável requer assunto, auto-confiança e equilíbrio que naturalmente surgem quando ambos tiveram tempo de conhecer um ao outro, aceitar as diferenças desenvolvendo objetivos em comum e pensando por dois, em vez de pensar somente em si mesmos. Então o segredo parece ser justamente continuar o ritual do primeiro encontro, procurando sempre ser o melhor para o outro, sem deixar de ser quem nós somos, com naturalidade."


Leonardo de Oliveira - Brasília

"Eu sou um cara chato e, algumas vezes, frio também. Apesar disso eu gosto bastante de sair com os amigos para me divertir.
Isto posto, a garota deve gostar de sair, beber, fazer as mesmas coisas que eu gosto e, principalmente, manter um bom relacionamento com os meus amigos. Ela precisa ser uma pessoa antenada, que tenha conhecimento sobre diversos assuntos, pois assim sempre teremos o que conversar. Outro ponto importante, garota precisa ter opinião e personalidade, saber o que quer. Nunca ficar em cima do muro.

As garotas desbocadas e com vocabulário limitado a 'véi', 'mina', etc. são desprezíveis. Ter um bom gosto musical também é importante, pois essa modinha de sertanejo e pagode, não samba, é complicado.
Garotas desocupadas também não me agrada. Digo, garotas que não estudam, trabalham, enfim, que não tenham um objetivo na vida.
Timidez também é um ponto fraco, a garota precisa saber conversar..
Não serei hipócrita, beleza é fundamental."



Mauricio Von Abel - Rio de Janeiro
Facebook

"Achei muito interessante ser convidado para escrever sobre esse assunto que ultimamente tem me feito ficar meio maluco. Sou um cara que desde muito cedo não curte tanto esse negocio de ficar em balada, sexo por sexo e coisas do tipo. Claro que as vezes é interessante e acaba acontecendo, mas sempre chega aquela hora em que você sente que falta alguma coisa, sente falta de alguém pra compartilhar as coisas boas, enfim, sente falta de um relacionamento.

Quando disse que o assunto está me deixando meio maluco é porque ultimamente só as meninas que me fazem sair correndo estão aparecendo na minha vida. Isso mesmo, elas estão fazendo tudo errado! Então decidi listar os principais erros que minhas ultimas paqueras acabaram cometendo:

  • Falar do Ex: Meninas, vou dizer uma coisa pra vocês. Que coisa chata é você estar alí todo interessado em saber mais sobre ela e a conversa inteira gira em torno do ex... isso é horrível, o golpe final é fazer comparações entre ele e eu. Pode apostar que, depois dessa, eu vou correr.
  • Insegurança: Um ciuminho pode ser até interessante, mostra que você está “cuidadando” do que é seu... mas por favor, não faça nenhum show de ciúmes só porque aquela gostosa está olhando pra mim. E se ainda estivermos na fase da paquera, vou achar que você é louca!
  • Fazer Doce: Essas se dividem em dois grupos. As auto-suficientes, que ficam o tempo todo contando vantagem e tentando mostrar o quanto são superiores por estarem bem sozinhas e não dependerem de ninguém para serem felizes, quando isso acontece, eu acho que elas realmente querem ficar sozinhas e parto pra outra. E as desiludidas, que a conversa se resume em generalizações e falar o quantos todos os homens não prestam... nessas horas eu peço desculpas por ser um monstro e saio fora.
  • Marketing Pessoal: Assuntos sobre sexo não são proibidos, pelo contrário, se rolar naturalmente eu gosto muito. Mas algo que me deixa de pé atrás é quando a menina fica forçando esse assunto e fazendo muita auto-propaganda, principalmente se for contando as loucuras que você fazia com o seu ex. Sério, eu não preciso saber disso.

Acho que esses são os principais motivos que me fazem perder o interesse de cara.

Uma coisa que chama bastante a minha atenção é quando a mulher toma a iniciativa, gosto de atitude. Se ela souber fazer isso sem ser direta demais e me deixar constrangido, vai ganhar MUITOS pontos comigo.

Enfim, gosto de uma conversa interessante, flertar, passar por todas aquelas fases gostosas de quando você está conhecendo alguém. Isso tudo tem que rolar com naturalidade e no seu devido tempo. Gosto de mulheres bem humoradas, com personalidade, inteligentes e, principalmente, que saibam conversar... porque é duro quando você está falando com alguém que seja lacônica."


Michael Bernardini - Florianópolis
"Como responder uma pergunta do tipo "o que você gosta e o que não gosta numa mulher?" sem parecer simplista?
A maneira mais fácil seria eu dizer tudo o que gosto e, consequentemente, o oposto seria tudo o que não gosto!?!?!
Porém a questão é um pouco mais complexa (sim, ao contrário do que muitos pensam - e para contragosto de alguns - nós homens também podemos e queremos ser um pouco, ou muito, complexos)! Se eu começar pelas características físicas o que posso dizer é que afirmei durante anos que preferia as loiras. Até o dia em que, de repente, me apaixonei por uma morena... e depois por uma loira de novo...
O que mais incomoda neste tipo de pergunta (e o que dificulta sua resposta) é o fato de que ela exige uma espécie de padronização: padronizar um tipo de pessoa que nos agrada. Não que não tenhamos nossas preferências, pois as temos, mas padronizar requer que abramos mão do "fator surpresa". E como padronizar o surpreendente? Justamente ele... exatamente o que mais encanta!
Dizem que aquilo que não gostamos em uma pessoa no começo de um relacionamento tende a tornar-se insuportável com o tempo! Já eu discordo e vou explicar o porquê. Pela simples habilidade que temos de mudar! Ou seja, aprendemos que coisas que pareciam não ser tão bacanas podem sim ser mais legais do que imaginávamos. E o contrário também é verdadeiro!
Desta forma, posso dizer que acredito naquela velha máxima popular (e da física) que afirma que os opostos se atraem.
Mas, para não pensarem que todo este blá blá blá está servindo como fuga para a resposta, a mulher ideal para mim, hoje, seria aquela que é inteligente mas não é pedante; consegue ser simpática sem parecer fácil; não é controladora e mesmo assim tem seus momentos de ciúmes; não faz a linha "fresca" nem tampouco a linha "mais macho que eu"; não demora muito para se arrumar e, mesmo assim, quando pronta, consegue fazer meu queixo cair ao vê-la.
Vale lembrar que essa mulher ideal (se é que ela existe) pode acabar não sendo nem um pouco interessante para um relacionamento sério caso não role aquela magia que alguns chamam de química e os mais românticos, como eu, de paixão."
-

E a votação para melhor blog de variedades continua. Vota na gente, vai? É só clicar no banner do TopBlog ali em cima, no cantinho esquerdo que a gente faz figuinha daqui!



You Might Also Like

1 Comente aqui!

Parceria

Parceria

Facebook

follow me

follow me

Subscribe